sicnot

Perfil

Mundo

Ministro diz que protestos contra Dilma são um direito dos cidadãos

O ministro-chefe da Casa Civil da Presidência brasileira afirmou hoje que os protestos contra o governo são um "direito" dos cidadãos, mas criticou a polarização entre eleitores após a reeleição de Dilma Rousseff, que chamou de "terceira volta"

© Ueslei Marcelino / Reuters

"O Brasil tem dois turnos [duas voltas]. Não pode haver terceiro turno [terceira volta]. O que preocupa é que tivemos uma eleição bastante polarizada, que teve momentos de radicalização, e precisamos construir uma cultura de tolerância, de diálogo", disse hoje Aloízio Mercadante, citado pela Folha de São Paulo, em conferência de imprensa. 

A conferência realizou-se um dia depois de manifestações realizadas contra Rousseff em diversas cidades brasileiras, enquanto a Presidente fazia uma comunicado a propósito do Dia Internacional da Mulher, através da rádio e da televisão.

Em mais de dez capitais de Estados houve "panelaço" (protesto com utilização de panelas) e vaias durante e após o discurso. 

Mercadante realçou que as manifestações ocorreram em bairros e cidades em que Rousseff foi derrotada nas eleições de outubro do ano passado. A conferência foi realizada após uma reunião entre o ministro, a Presidente e o vice-Presidente, Michel Temer. 

Segundo Mercadante, a ideia do governo é reunir semanalmente com Temer e ministros, para auxiliar nas relações com o Poder Legislativo e com a coligação, cujos maiores partidos são o Partido do Movimento Democrático Nacional (PMDB), do vice-Presidente, que vive atualmente uma crise com o governo e quer mais protagonismo, e o Partido dos Trabalhadores, de Rousseff.

As opiniões de eleitores partidários da Presidente Dilma Rousseff e opositores do governo serão vistas em manifestações nos próximos dias. 

Na sexta-feira, a Central Única dos Trabalhadores, o sindicato dos trabalhadores da indústria petrolífera e outros movimentos sociais aliados do governo levarão a cabo ações em diferentes cidades em defesa da Petrobras, empresa no centro de um caso de corrupção que envolve partidos e políticos da coligação governamental.

Pelo contrário, críticos de Rousseff convocaram para domingo, dia 15, manifestações em diversos municípios contra o governo. Entre os grupos envolvidos, há inclusive os que defendem o 'impeachment' (impugnação do mandato presidencial) da Presidente. 


Lusa
  • Primeiro eclipse solar 100% visível nos EUA em 38 anos
    0:40
  • "É muito importante que os EUA mostrem determinação política e militar"
    0:50

    Mundo

    Os exércitos da Coreia do Sul e dos Estados Unidos iniciaram hoje as manobras anuais numa altura marcada pela recente escalada de tensão entre Pyongyang e Washington. Para Miguel Monjardino, comentador da SIC, estes exercícios militares são encarados como uma provocação para a Coreia do Norte. Monjardino defende que é importante que os EUA mostrem determinação no atual clima de tensão nuclear.

  • Campanha eleitoral em Angola chega hoje ao fim

    Mundo

    Os candidatos às eleições gerais angolanas de quarta-feira terminam hoje um mês de campanha, com milhares de quilómetros percorridos, uma breve aparição de José Eduardo dos Santos e as possíveis coligações em destaque.

  • China prepara-se para inaugurar comboio mais rápido do mundo
    1:08
  • Morreu o rei da comédia
    2:08

    Cultura

    Um dos grandes nomes do humor norte-americano morreu ontem, aos 91 anos. Jerry Lewis era comediante, ator, argumentista, cantor e realizador. Considerado o rei da comédia, Lewis influenciou diferentes gerações de comediantes e foi defensor de várias causas humanitárias, entre as quais a distrofia muscular.

  • A insólita entrevista de Jerry Lewis que se tornou viral
    2:39

    Cultura

    Jerry Lewis concedeu no início deste ano uma entrevista insólita que se tornou viral nas redes sociais. O comediante decidiu, pura e simplesmente, não colaborar com o entrevistado. Lewis tinha na altura 90 anos e continuava a trabalhar, tendo participado no filme "Max Rose", em 2016.