sicnot

Perfil

Mundo

Sindicato da construção vai à Bélgica e Luxemburgo denunciar "escravatura contemporânea"

O Sindicato da Construção de Portugal está a articular com os congéneres belga e luxemburguês um "périplo" por várias obras em curso naqueles países contra a exploração de trabalhadores portugueses e em defesa de "direitos iguais" aos dos trabalhadores locais.

(Arquivo)

(Arquivo)

Reuters

Em declarações à agência Lusa, o presidente do sindicato, Albano Ribeiro, adiantou que é sua intenção partir, "se possível, para a semana", para a Bélgica e para o Luxemburgo, na sequência da denúncia, no sábado, pelo sindicato luxemburguês LCGB de situações de exploração de portugueses recrutados por empresas de construção em Portugal para trabalhar naqueles países.

Segundo o dirigente sindical Paul de Araújo, do LCGB, haverá casos de portugueses a trabalhar sete dias por semana e com salários muito abaixo do mínimo luxemburguês. 

"Há situações catastróficas. As pessoas vêm com contratos negociados em Portugal que não respeitam a legislação luxemburguesa, e quando pedimos informação dizem que descontam o alojamento, o material, tudo", alertou durante uma conferência de informação para imigrantes recém-chegados organizada pelo Centro de Apoio Social e Associativo (CASA).

Em alguns casos, disse, os trabalhadores "são abandonados no Luxemburgo, porque os salários não são pagos, e as pessoas ficam sem dinheiro nem meios financeiros para ficar ou voltar".

Salientando que esta situação viola a diretiva europeia sobre o destacamento de trabalhadores, Liliana Bento, responsável pelo setor da construção no LCGB, explicou que, "desde que estejam a trabalhar em território luxemburguês, os trabalhadores têm direito ao salário mínimo no Luxemburgo, ou mesmo a um valor mais alto, de acordo com a sua experiência e formação, segundo o previsto nas convenções coletivas".

"Quando eles começam a perceber que aqui os salários são mais altos e começam a reclamar, arranjam logo maneira de os mandar embora e de trazer outros novos, e o ciclo recomeça", acrescentou. 

À Lusa, o presidente do Sindicato da Construção de Portugal afirmou que esta situação acontece sobretudo na Bélgica e no Luxemburgo, mas apontou casos semelhantes em França e na Alemanha.

De acordo com Albano Ribeiro, na Bélgica estarão a trabalhar "mais de 10 mil" operários da construção, enquanto no Luxemburgo serão "algumas centenas".

E, se alguns partiram para o estrangeiro munidos com um contrato de trabalho válido, muitos outros emigraram por intermédio de "angariadores de mão de obra", estando agora, a troco de 500 euros mensais, a trabalhar "lado a lado" com colegas que auferem 2.000 euros.

"Isto tem um nome: é escravatura contemporânea", denuncia Albano Ribeiro.


Lusa
  • Mais de um milhão de crianças em risco de morrer à fome
    1:23

    Mundo

    Cerca de 1.4 milhões de crianças estão em risco iminente de morrer à fome. Deste modo, a UNICEF faz um apelo urgente de cerca de 230 milhões de euros para levar nos próximos meses comida, água e serviços médicos a estas crianças. As imagens desta reportagem podem impressionar os espectadores mais sensíveis.

  • Vídeo amador mostra destruição na Síria
    1:04

    Mundo

    A guerra na Síria continua a fazer vítimas mortais. Um vídeo amador divulgado esta segunda-feira mostra o estado de uma localidade a este de Damasco, depois de um ataque aéreo no fim-de-semana. No ataque, 16 pessoas morreram e há várias dezenas de feridos.

  • Partidos querem eleições a 1 de outubro
    1:35
  • Identificadas 10 mil vítimas de violência em 2016
    1:32
  • Homem que esfaqueou mulher em Esmoriz é acusado de homicídio qualificado
    1:24

    País

    O homem que no sábado esfaqueou a mulher em Esmoriz está acusado de homicídio qualificado. O arguido de 50 anos foi ouvido esta segunda-feira pelo juiz de instrução e ficou em prisão preventiva, uma medida fundamentada pelo perigo de fuga e de alarme. O homem remeteu-se ao silêncio durante o interrogatório, no Tribunal de Aveiro.

  • Homem condenado a oito anos e meio por abuso sexual da mãe
    1:10

    País

    O Tribunal de Coimbra condenou esta segunda-feira um homem de 53 anos a oito anos e meio de prisão por abuso sexual da mãe e ainda por crimes de roubo e coação. A mãe, de 70 anos, sofria de problemas nervosos e consumia bebidas alcoólicas com frequência, tendo sido vítima de abuso sexual por parte do filho enquanto dormia. Os crimes cometidos remetem para o início de 2016, depois do homem já ter cumprido outras penas de prisão em Espanha.

  • Jovem de 21 anos morre colhida por comboio na linha da Beira Baixa
    0:43

    País

    Uma jovem de 21 anos morreu esta segunda-feira ao ser atropelada pelo comboio Intercidades à saída da estação de Castelo Branco, na linha da Beira Baixa. A vítima foi colhida pelo comboio que seguia no sentido Lisboa-Covilhã ao atravessar a linha de caminho de ferro. Este é um local onde não existe passagem de nível, mas habitualmente muitas pessoas arriscam fazer a travessia da linha.

  • Banco do Metro com pénis gera polémica no México

    Mundo

    Um banco em formato de homem com o pénis exposto, numa das carruagens de Metro da Cidade do México, está a gerar polémica. A iniciativa integra uma campanha contra o assédio sexual de que as mulheres são vítima no país.