sicnot

Perfil

Mundo

Sindicato da construção vai à Bélgica e Luxemburgo denunciar "escravatura contemporânea"

O Sindicato da Construção de Portugal está a articular com os congéneres belga e luxemburguês um "périplo" por várias obras em curso naqueles países contra a exploração de trabalhadores portugueses e em defesa de "direitos iguais" aos dos trabalhadores locais.

(Arquivo)

(Arquivo)

Reuters

Em declarações à agência Lusa, o presidente do sindicato, Albano Ribeiro, adiantou que é sua intenção partir, "se possível, para a semana", para a Bélgica e para o Luxemburgo, na sequência da denúncia, no sábado, pelo sindicato luxemburguês LCGB de situações de exploração de portugueses recrutados por empresas de construção em Portugal para trabalhar naqueles países.

Segundo o dirigente sindical Paul de Araújo, do LCGB, haverá casos de portugueses a trabalhar sete dias por semana e com salários muito abaixo do mínimo luxemburguês. 

"Há situações catastróficas. As pessoas vêm com contratos negociados em Portugal que não respeitam a legislação luxemburguesa, e quando pedimos informação dizem que descontam o alojamento, o material, tudo", alertou durante uma conferência de informação para imigrantes recém-chegados organizada pelo Centro de Apoio Social e Associativo (CASA).

Em alguns casos, disse, os trabalhadores "são abandonados no Luxemburgo, porque os salários não são pagos, e as pessoas ficam sem dinheiro nem meios financeiros para ficar ou voltar".

Salientando que esta situação viola a diretiva europeia sobre o destacamento de trabalhadores, Liliana Bento, responsável pelo setor da construção no LCGB, explicou que, "desde que estejam a trabalhar em território luxemburguês, os trabalhadores têm direito ao salário mínimo no Luxemburgo, ou mesmo a um valor mais alto, de acordo com a sua experiência e formação, segundo o previsto nas convenções coletivas".

"Quando eles começam a perceber que aqui os salários são mais altos e começam a reclamar, arranjam logo maneira de os mandar embora e de trazer outros novos, e o ciclo recomeça", acrescentou. 

À Lusa, o presidente do Sindicato da Construção de Portugal afirmou que esta situação acontece sobretudo na Bélgica e no Luxemburgo, mas apontou casos semelhantes em França e na Alemanha.

De acordo com Albano Ribeiro, na Bélgica estarão a trabalhar "mais de 10 mil" operários da construção, enquanto no Luxemburgo serão "algumas centenas".

E, se alguns partiram para o estrangeiro munidos com um contrato de trabalho válido, muitos outros emigraram por intermédio de "angariadores de mão de obra", estando agora, a troco de 500 euros mensais, a trabalhar "lado a lado" com colegas que auferem 2.000 euros.

"Isto tem um nome: é escravatura contemporânea", denuncia Albano Ribeiro.


Lusa
  • "Estamos vivos"
    11:41

    Reportagem Especial

    Os incêndios de 15 de outubro provocaram sete milhões de euros de prejuízos em empresas da região Norte. Castelo de Paiva foi o concelho mais atingido, o fogo destruiu várias casas e empresas que davam trabalho a cerca de 200 pessoas. Um mês depois do incêndio, a Reportagem Especial da SIC foi ver o que está a ser feito para ajudar a população.

  • Administrador recebia 420 mil € por ano quando aldeamento passava dificuldades
    4:39

    Operação Marquês

    A Caixa Geral de Depósitos tentou cortar para metade o salário do presidente do Conselho de Administração de Vale do Lobo, mas não conseguiu. Diogo Gaspar Ferreira ganhava 420 mil euros por ano, quando o empreendimento estava enterrado em dívidas. A Autoridade Tributária estima também que o arguido da Operação Marquês não tenha declarado 400 mil euros pagos pelo aldeamento.

  • Estudante português desaparecido no mar Báltico

    País

    Um jovem português de 21 anos desapareceu na segunda-feira, dia 13 de novembro, enquanto fazia uma viagem de cruzeiro entre a cidade finlandesa de Helsínquia e a capital da Suécia, Estocolmo. As autoridades locais fizeram buscas na madrugada em que Diogo Penalva caiu ao mar Báltico, por volta das duas da manhã.

  • Notas e moedas têm os dias contados?
    6:27
  • Marcelo e Costa unidos contra contagem do tempo integral de serviço dos professores
    2:45

    País

    Em menos de 24 horas, o Presidente da República e o primeiro-ministro deram publicamente sinais de que estão unidos contra a contagem de todo o tempo de serviço de professores e outros agentes do Estado para efeitos salariais. Marcelo Rebelo de Sousa e António Costa disseram que essa possibilidade é uma ilusão e que o país não tem condições para voltar aos níveis anteriores à crise.

  • Político oferece 1,3 milhões por decapitação de atriz

    Mundo

    Deepika Padukone é uma das personagens principais do filme que retrata a relação entre uma rainha hindu e um governante muçulmano. O filme enfureceu um político do Governo indiano, que ofereceu 1,3 milhões de euros como recompensa a quem decapitasse a atriz. A polícia já destacou agentes para proteger a atriz, bem como a sua família.

  • Paris inaugura primeiro restaurante naturista

    Mundo

    Para entrar, é preciso retirar a roupa e apenas as mulheres podem permanecer calçadas. O primeiro restaurante naturista de Paris abriu em novembro para responder a uma necessidade em França, principal destino do mundo para os praticantes de nudismo.

  • Peru faz aparição especial na Casa Branca
    1:10

    Mundo

    Os norte-americanos estão a preparar-se para o tradicional Dia de Ação de Graças, assinalado na próxima quinta-feira. O tradicional peru fez esta terça-feira uma aparição especial na sala de conferências de imprensa, na Casa Branca, em Washington. O peru é o prato tradicional no Dia de Ação de Graças, uma data de louvor a Deus, que remonta ao século XVII e que é celebrada na quarta quinta-feira de novembro, sobretudo nos Estados Unidos da América e no Canadá.

  • Sara Sampaio brilha em Xangai
    1:50