sicnot

Perfil

Mundo

Ativistas sul-coreanos planeiam enviar filme "The Interview" para a Coreia do Norte

Ativistas sul-coreanos afirmaram hoje que pretendem enviar para o outro lado da fronteira o filme "The Interview", que ridiculariza a figura de Kim Jong-un, através do lançamento de balões no final do mês, desafiando ameaças de Pyongyang.

(Reuters/ Arquivo)

(Reuters/ Arquivo)

© Rick Wilking / Reuters

Os balões vão transportar até 10.000 cópias do filme e 500 mil panfletos políticos. 

O filme, sobre um plano da CIA para matar o líder da Coreia do Norte, Kim Jong-Un, esteve na origem, em novembro último, de um ataque informático contra o estúdio Sony Pictures, cuja autoria é atribuída a piratas da Coreia do Norte pelos Estados Unidos que, em resposta, lançou sanções adicionais contra Pyongyang.

O próximo lançamento vai assinalar o quinto aniversário do grave incidente de 2010: o torpedeamento de uma corveta sul-coreana, atribuído a Pyongyang, por um inquérito internacional, que fez 46 mortos. 

As duas Coreias continuam tecnicamente em guerra, uma vez que o conflito de 1950-53 terminou com a assinatura de um armistício e não de um tratado de paz. 

  • Sete dos 23 arguidos do caso da Academia de Alcochete já têm cadastro
    1:59

    Crise no Sporting

    Sete dos 23 arguidos do caso da Academia de Alcochete já foram condenados por 22 crimes que cometeram no passado, mas nunca nenhum deles cumpriu pena de prisão ou prisão domiciliária. O juiz decretou a prisão preventiva na sequência das agressões à equipa do Sporting por entender que se tratou de um comportamento chocante, terrorista e a perversão do espírito desportivo.

  • Está a pensar ir à praia? Não se esqueça do guarda-chuva
    0:43
  • MP investiga ministro Siza Vieira, António Costa rejeita incompatibilidades
    2:12

    País

    O Ministério Público decidiu investigar o ministro Adjunto, Pedro Siza Vieira, por alegadas incompatibilidades. O governante criou uma empresa imobiliária um dia antes de tomar posse e manteve-se como gerente durante dois meses. A lei prevê a demissão, mas o primeiro-ministro já disse que se tratou apenas de um erro e o próprio ministro alega desconhecimento da lei.

  • EUA expulsa dois diplomatas venezuelanos e dá-lhes 48 horas para deixarem o país

    Mundo

    Os Estados Unidos anunciaram, na quarta-feira, a expulsão de dois diplomatas venezuelanos, aos quais deu um prazo de 48 horas para sairem do país. A decisão é a resposta ao anúncio de Presidente da Venezuela de expulsar o encarregado de negócios e o chefe da secção política da embaixada dos Estados Unidos em Caracas, Todd Robinson e Brian Naranjo, respetivamente.