sicnot

Perfil

Mundo

Mulher mata três filhas e tenta suicídio na Índia por não conseguir ter um varão

Uma mulher matou as suas três filhas e tentou suicidar-se na Índia, por não conseguir gerar um varão numa sociedade em que é notória a preferência por rapazes, informaram hoje media locais.

© Adnan Abidi1 / Reuters

A mulher, de 27 anos, tentou enforcar-se numa árvore na segunda-feira em Nova Deli, mas foi descoberta e resgatada por transeuntes, disseram fontes policiais ao jornal Indian Express e à agência IANS. 


A polícia encontrou junto à árvore os cadáveres das três filhas da mulher, de oito meses, três e oito anos. As raparigas tinham sido estranguladas. 


Antes de matar as filhas, a mulher, que estava sob tratamento para depressão e ansiedade, telefonou ao marido para o informar das suas intenções.  


No hospital para onde foi transportada após a tentativa de suicídio, disse à polícia que não era feliz por não poder gerar um rapaz. 


A preferência por rapazes na Índia deve-se ao facto de o papel social destes incluir a perpetuação da linhagem, a herança da propriedade e o cuidado dos pais na velhice, enquanto no caso das raparigas os progenitores, ao invés de benefícios, têm de pagar um elevado dote à família do noivo. 


Devido a este fator cultural é comum na Índia a prática de abortos seletivos. 


O censo de 2011 revelou que existem no país menos 7,1 milhões de raparigas do que rapazes até aos seis anos e que no total da população indiana (de 1.210 milhões de pessoas) existem 940 mulheres por cada mil homens.


Lusa

  • A menina síria que relata a guerra no Twitter está bem, diz o pai

    Mundo

    Bana Alabed, a menina síria de 7 anos que conta no Twitter a luta pela sobrevivência e os horrores da guerra em Alepo, teve de abandonar a sua casa que foi bombardeada mas está bem, disse hoje o seu pai à Agência France Press. A conta esteve fechada desde domingo, mas foi entretanto reativada e tem hoje uma nova publicação de Bana.

  • Parkinson pode ter início nos intestinos

    Mundo

    Um novo estudo científico vem revelar que a doença de Parkinson pode não estar apenas no cérebro. A doença pode ter início nos intestinos e mais tarde migrar para o cérebro.