sicnot

Perfil

Mundo

Promesa de lealdade do Boko Haram ao Estado Islâmico é "ato de desespero"

O juramento de lealdade do Boko Haram ao Estado Islâmico é um sinal de fraqueza do grupo radical nigeriano que "está a ser eliminado" por forças da Nigéria e de países vizinhos, afirmou hoje um porta-voz governamental. 

Reuters

Para o porta-voz sobre questões de segurança do governo da Nigéria, Mike Omeri, trata-se "de um ato de desespero, que acontece numa altura em que o Boko Haram regista pesadas perdas".

O líder do Boko Haram, Abubakar Shekau, fez o anúncio da sua promessa de lealdade ao movimento extremista Estado Islâmico no sábado à noite numa gravação incluída na conta do grupo na rede social de mensagens curtas Twitter.  

O exército nigeriano, ajudado por forças dos Camarões, Chade e Níger, conseguiu recuperar no final de fevereiro algumas localidades do nordeste da Nigéria que estavam nas mãos dos fundamentalistas. 

A operação militar regional visa estabilizar aquela zona tendo em vista as eleições gerais nigerianas, previstas para 28 de março depois de terem sido adiadas seis semanas devido à violência dos islamistas. 

Segundo Omeri, a campanha em curso permitiu "desalojar o Boko Haram dos seus feudos e causar danos à sua força de combate".

"O Boko Haram está a ser eliminado", considerou num comunicado, adiantando que "nenhum extremista estrangeiro pode alterar este facto enquanto o exército nigeriano continuar a contar com a cooperação e o empenho dos seus cidadãos e dos seus aliados". 

O grupo radical apossou-se de largas áreas de território no nordeste nos últimos seis meses e proclamou a criação do seu califado, ameaçando a integridade territorial da Nigéria e a segurança dos países vizinhos. 

De acordo com especialistas, o juramento de lealdade é primeiro passo de uma operação de propaganda que poderá evoluir mais tarde para uma verdadeira cooperação. 

  • Casal detido por torturar os 13 filhos em casa nos EUA

    Mundo

    Treze irmãos e irmãs foram encontrados presos em casa, alguns acorrentados, esfomeados e sujos, numa pequena localidade no estado norte-americano da Califórnia, e os pais foram detidos por tortura, anunciou a polícia norte-americana.

  • Morreu a cantora Madalena Iglésias

    Cultura

    A cantora Madalena Iglésias, que venceu o Festival da Canção em 1966 com a música "Ele e Ela", morreu hoje aos 78 anos numa clínica em Barcelona, Espanha. O velório realiza-se hoje, a partir das 18:00 locais (17:00 em Portugal), na sala 18 do Tanatório de Collserola, em Barcelona.

  • U2 regressam a Portugal em setembro

    Cultura

    16 de setembro, Altice Arena em Lisboa. A nova digressão da banda irlandesa U2 tem passagem garantida por Portugal. Os bilhetes são postos à venda ainda em janeiro, com condições especiais para membros do clube de fãs e os primeiros que compraram o mais recente álbum do grupo.

    Ricardo Rosa

  • "O grupo parlamentar do PSD vai ser um instrumento de força para ajudar Rui Rio"
    16:00