sicnot

Perfil

Mundo

Promesa de lealdade do Boko Haram ao Estado Islâmico é "ato de desespero"

O juramento de lealdade do Boko Haram ao Estado Islâmico é um sinal de fraqueza do grupo radical nigeriano que "está a ser eliminado" por forças da Nigéria e de países vizinhos, afirmou hoje um porta-voz governamental. 

Reuters

Para o porta-voz sobre questões de segurança do governo da Nigéria, Mike Omeri, trata-se "de um ato de desespero, que acontece numa altura em que o Boko Haram regista pesadas perdas".

O líder do Boko Haram, Abubakar Shekau, fez o anúncio da sua promessa de lealdade ao movimento extremista Estado Islâmico no sábado à noite numa gravação incluída na conta do grupo na rede social de mensagens curtas Twitter.  

O exército nigeriano, ajudado por forças dos Camarões, Chade e Níger, conseguiu recuperar no final de fevereiro algumas localidades do nordeste da Nigéria que estavam nas mãos dos fundamentalistas. 

A operação militar regional visa estabilizar aquela zona tendo em vista as eleições gerais nigerianas, previstas para 28 de março depois de terem sido adiadas seis semanas devido à violência dos islamistas. 

Segundo Omeri, a campanha em curso permitiu "desalojar o Boko Haram dos seus feudos e causar danos à sua força de combate".

"O Boko Haram está a ser eliminado", considerou num comunicado, adiantando que "nenhum extremista estrangeiro pode alterar este facto enquanto o exército nigeriano continuar a contar com a cooperação e o empenho dos seus cidadãos e dos seus aliados". 

O grupo radical apossou-se de largas áreas de território no nordeste nos últimos seis meses e proclamou a criação do seu califado, ameaçando a integridade territorial da Nigéria e a segurança dos países vizinhos. 

De acordo com especialistas, o juramento de lealdade é primeiro passo de uma operação de propaganda que poderá evoluir mais tarde para uma verdadeira cooperação. 

  • Marinha e Exército dão luz verde ao Aeroporto do Montijo

    País

    De acordo com a edição deste domingo do Diário de Notícias, o Exército e a Marinha já comunicaram à Força Aérea disponibilidade para desocupar parcialmente a base aérea e o Montijo se transformar num num aeroporto complementar ao de Lisboa.

  • Militares tentam acabar com guerra entre traficantes na Rocinha, Rio de Janeiro
    3:07

    Mundo

    As últimas horas têm sido de tensão no Rio de Janeiro depois dos tiroteios que começaram desde que uma das principais favelas da cidade foi ocupada por militares na sexta-feira. As forças federais foram acionadas para auxiliarem a polícia, que há vários dias tenta acabar com a guerra entre fações de traficantes de droga.

  • Irão lança míssil de médio alcance
    1:13

    Mundo

    Três dias depois do discurso hostil de Donald Trump nas Nações Unidas, o Irão testou um novo míssil de médio alcance que atingiu uma altura de dois mil quilómetros. Teerão diz que o teste não viola o acordo nuclear.

  • Trump renovou as ameaças à Coreia do Norte
    1:30
  • Atrás das Câmaras em Pedrógão Grande
    3:37
    Atrás das Câmaras

    Atrás das Câmaras

    DIARIAMENTE NA SIC E SIC NOTÍCIAS

    A carrinha do "Atrás das Câmaras" continua pelo país a mostrar aquilo que alguns políticos ignoram. Este sábado a equipa da SIC esteve em Pedrógão Grande, 99 dias após o incêndio que fez 64 mortos e 200 feridos.

  • Morreu Charles Bradley, uma das lendas do soul

    Cultura

    O cantor Charles Bradley morreu este sábado aos 68 anos. O músico norte-americano foi diagnosticado com cancro no ano passado. A notícia da morte foi confirmada na página oficial do cantor no Facebook.