sicnot

Perfil

Mundo

Dezenas de árabes israelitas nas fileiras do Estado Islâmico

O ministro da Defesa israelita, Moshé Yaalon, afirmou hoje que dezenas de árabes israelitas se juntaram ao grupo extremista Estado Islâmico (EI).

© Ammar Awad / Reuters

"Várias dezenas de árabes israelitas alistaram-se no Estado Islâmico e partiram para os combates [na Síria e no Iraque], dos quais alguns foram mortos, outros presos no regresso a casa ou antes de partir, mas não se trata de um fenómeno generalizado entre os árabes israelitas", disse o ministro à rádio pública.

Moshé Yaalon desmentiu, porém, as acusações de que o árabe israelita que EI anunciou ter executado espiava a favor dos serviços secretos israelitas.

"Este árabe israelita não tem nada ver com a Mossad nem com qualquer outra instituição ligada à segurança em Israel", disse o ministro.

Num vídeo, com cerca de 13 minutos, divulgado na terça-feira pelo EI, pode ver-se um menor de idade vestido com uniforme militar, que alegadamente dispara contra a vítima, que está junto de um adulto do grupo.

A comunidade de árabes israelitas é composta atualmente por mais de 1,4 milhões de pessoas, ou seja, um quinto da população.


Lusa
  • Pagar IMI a prestações e um Documento Único Automóvel mais pequeno

    País

    O programa Simplex + 2017 é apresentado hoje à tarde e recebeu mais de 250 propostas de cidadãos ao longo dos últimos meses. As novas medidas preveem o pagamento em prestações do Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI) e a criação de um simulador de custos da Justiça, que devem estar em vigor no próximo ano.

  • Depois do Fogo
    23:30
  • "A culpa morre sozinha?"
    0:41

    Opinião

    Luís Marques Mendes não acredita que o Ministério Público não formule uma acusação de homicídio por negligência e que não haja demissões na sequência do incêndio de Pedrógão Grande. O comentador da SIC debateu o tema este domingo no Jornal da Noite da SIC.

    Luís Marques Mendes

  • Cinco anos depois do incêndio na Serra do Caldeirão
    5:24
  • Trump quebra tradição da Casa Branca com 20 anos

    Mundo

    Donald Trump decidiu não fazer um jantar de celebração pelo fim do Ramadão, o mês em que os muçulmanos cumprem jejum entre o nascer e o pôr do sol. O Presidente dos Estados Unidos quebrou a tradição da Casa Branca, pela primeira vez em 20 anos.

  • Novo avião da TAP com pintura retro
    0:36
  • Destaques económicos que marcaram a semana
    2:03

    Economia

    A semana ficou marcada pela tragédia provocada pelos incêndios no centro do país. No entanto importa olhar para o que se passou noutras áreas e fazer um resumo das notícias relacionadas com a economia.