sicnot

Perfil

Mundo

Ofensiva contra Boko Haram já recuperou 36 localidades na Nigéria

O grupo Boko Haram perdeu 36 localidades no nordeste da Nigéria desde o início da ofensiva de fevereiro, afirmou hoje o governo nigeriano, acrescentando esperar que a cooperação com os países vizinhos permita "uma derrota completa" dos insurgentes islâmicos.  

Ofensiva contra o Boko Haram já recuperou 36 localidades na Nigéria.

Ofensiva contra o Boko Haram já recuperou 36 localidades na Nigéria.

© Stringer . / Reuters

O porta-voz governamental, Mike Omeri, afirmou que quatro localidades foram tomadas desde sexta-feira, três no Estado de Borno e uma, Buni Yadi, no vizinho Estado de Yobe, onde o Boko Haram matou mais de 40 estudantes em fevereiro de 2014.

De acordo com a mesma fonte, Abuja espera que a ofensiva militar que envolve quatro países - Nigéria, Níger, Camarões e Chade - "precipite a derrota e o extermínio do Boko Haram na Nigéria e em toda a região". 

Apesar de a Nigéria estar no comando das operações, testemunhas, peritos e elementos das tropas dos outros países foram unânimes em considerar que o Chade deu uma contribuição decisiva para o êxito das ações, ao entrar no território nigeriano e perseguir os islamitas em zonas do Estado de Borno, visto como um bastião do grupo.

Para o governo nigeriano, a ofensiva anti-Boko Haram deve possibilitar a realização das eleições presidenciais e parlamentares a 28 de março, depois de estas terem sido adiadas seis semanas, oficialmente por causa da violência na região.

O Congresso Progressista (APC), principal formação da oposição, que está ombro a ombro com o atual chefe de Estado, Goodluck Jonathan, havia ameaçado contestar a validade do sufrágio se um número significativo de pessoas no nordeste do país não pudesse votar.

O líder do Boko Haram, Abubakar Shekau, prometeu impedir a realização dos atos eleitorais pela violência, aumentando os temores em torno dos sufrágios, que se adivinham muito disputados e, como tal, passíveis de motivar confrontos por motivos políticos.

Desde 2009, a insurgência islâmica e a sua repressão causaram mais de 13.000 mortos e 1,5 milhões de deslocados na Nigéria mas, de acordo com o porta-voz governamental, os recentes sucessos no terreno permitiram que alguns dos deslocados pudessem "voltar para casa e retomar as suas vidas normais", o que ainda não foi confirmado por fontes independentes, segundo a AFP.


Lusa
  • Governo quer aumentar fiscalização a baixas fraudulentas
    1:10

    País

    O Governo quer criar uma bolsa de médicos para fiscalizar quem recebe o subsídio por doença. A intenção foi manifestada à TSF pela secretária de Estado da Segurança Social. Em 2016 foram detetados mais de 56 mil trabalhadores com baixa médica que afinal estavam aptos para trabalhar.

  • Novo motim em prisão brasileira do Rio Grande do Norte

    Mundo

    Um motim ocorreu esta segunda-feira de madrugada numa prisão do estado brasileiro de Rio Grande do Norte, sem fazer feridos ou mortos, depois de uma rebelião numa outra prisão do mesmo estado ter feito 26 mortos no fim de semana.

  • Cheias e derrocadas destroem várias casas no Peru
    0:42

    Mundo

    Um deslizamento de terras seguido de uma inundação destruiu várias casas no Peru. As imagens mostram o momento em que o deslizamento acontece e o caos que se gerou. O trânsito ficou cortado e as inundações que se seguiram obrigaram várias pessoas a abandonar as suas habitações.