sicnot

Perfil

Mundo

Rússia lança "ano da amizade" com a Coreia do Norte

A Rússia anunciou hoje o lançamento de um "ano da amizade" com a Coreia do Norte, cujo novo dirigente, Kim Jong-Un, se deslocará em maio a Moscovo na sua primeira viagem oficial ao estrangeiro. 

O novo dirigente da Coreia do Norte Kim Jong-Un vai deslocar-se em maio a Moscovo na sua primeira viagem oficial ao estrangeiro.

O novo dirigente da Coreia do Norte Kim Jong-Un vai deslocar-se em maio a Moscovo na sua primeira viagem oficial ao estrangeiro.

© KCNA KCNA / Reuters

O ministério dos Negócios Estrangeiros russo precisou que os dois países concluíram um programa de intercâmbio cultural destinado a reforçar os laços entre os dois antigos aliados do tempo da União Soviética.  

Esta aproximação, que coincide com o 70.º aniversário do fim da Segunda Guerra Mundial, ocorre numa altura em que Moscovo procura contrabalançar as suas más relações com o Ocidente, que atingiram o ponto mais baixo desde o fim da Guerra Fria devido à situação na Ucrânia. 

O Ocidente e Kiev acusam a Rússia de apoiar militarmente separatistas pró-russos no leste da Ucrânia, o que Moscovo desmente.

Da Venezuela à China, a Rússia reforçou nos últimos meses as suas relações com novos parceiros económicos para compensar as sanções ocidentais e a queda do preço do petróleo.

Kim Jong-Un pretende, por sua vez, reduzir a dependência da Coreia do Norte em relação à China, a sua principal parceira política e económica.

O anterior líder norte-coreano, Kim Jong-Il, visitou a Rússia em agosto de 2011, viajando a bordo de um comboio blindado para se encontrar na Sibéria com o antigo Presidente russo, Dmitri Medvedev.

A Rússia deseja alargar as relações económicas com a Coreia do Norte e espera ver concretizar-se um projeto de cerca de 25 mil milhões de dólares (20 mil milhões de euros) de renovação da rede ferroviária do país, que lhe permitirá ter acesso aos recursos minerais norte-coreanos.

A Rússia participa também nas negociações a seis sobre o programa nuclear norte-coreano.

A chanceler alemã, Angela Merkel, por sua vez, anunciou hoje que não assistirá ao desfile militar que se realiza a 09 de maio em Moscovo para celebrar os 70 anos da vitória dos Aliados sobre a Alemanha nazi.



Lusa
  • Eurogrupo dá luz verde ao Orçamento do Estado
    0:29

    Orçamento do Estado 2017

    O Orçamento português passou no Eurogrupo mas os ministros das Finanças alertam que podem ser precisas mais medidas para cumprir as metas e em março vão voltar a olhar para as contas. Para já, estão satisfeitos com o compromisso assumido por Mário Centeno e mais sete ministros da zona euro, cujos Orçamentos estão em risco de incumprimento.

  • Youtuber Miguel Paraiso escreveu uma paródia musical para a Reportagem da SIC "Renegados"
    1:27

    Grande Reportagem SIC

    O youtuber Miguel Paraiso escreveu uma paródia musical para a Grande Reportagem SIC "Renegados".Desde ontem já teve 67 mil visualizações no Facebook. Imagine que ia renovar o cartão de cidadão e diziam-lhe que afinal não é português? Mesmo tendo nascido, crescido, estudado e trabalhado sempre em Portugal? Foi o que aconteceu a inúmeras pessoas que nasceram depois de 1981, quando a lei da nacionalidade foi alterada.«Renegados» é como se sentem estes filhos de uma pátria que os excluiu. Para ver, esta quarta-feira, no Jornal da Noite da SIC.

  • "A nossa guerra não deixou heróis, só vilões e vítimas"
    5:26

    Mundo

    Luaty Beirão é o rosto mais visível de um movimento de contestação ao regime angolano que começou em 2011, ano da Primavera árabe. Mas a par dos 15+2, mediatizados num processo que os condenou por lerem um livro, outros activistas arriscam diariamente a liberdade. A SIC esteve em Luanda e falou com o advogado Adolfo Campos e com os músicos Carbono Casimiro, Mona Dya Kidi e David Salei. Já todos estiveram presos. Já todos foram vítimas de violência policial. Defendem que "a geração anterior comprometeu o país" e acreditam que só a mudança política pode trazer um futuro melhor. Para estes jovens activistas, a guerra que arrasou o país, e com que o regime justifica tudo, não deixou heróis, apenas "vilões e vítimas".

  • Homem e cão resgatados das águas na Andaluzia
    0:32