sicnot

Perfil

Mundo

Batalha contra hepatite B pode ser ganha em 10 a 20 anos

A batalha contra a hepatite B, que mata 650.000 pessoas por ano no mundo, pode ser ganha dentro de 10 a 20 anos, afirmou esta quinta-feira a Organização Mundial de Saúde (OMS).

© Rupak De Chowdhuri / Reuters

"Serão precisos 10 a 20 anos para que possamos esperar eliminar a hepatite B", declarou o médico Gottfried Hirnschall, diretor do departamento VIH/SIDA na OMS, na divulgação das primeiras orientações sobre o tratamento da doença.

Cerca de 240 milhões de pessoas têm hepatite B, uma infeção viral que se transmite através do sangue e de outros líquidos biológicos e que expõe os doentes a um significativo risco de morte por cirrose ou cancro do fígado.

A hepatite B afeta sobretudo as pessoas dos países de rendimentos baixos e médios, nomeadamente na África Ocidental (prevalência de mais de oito por cento) e na Ásia Oriental (prevalência entre cinco a oito por cento), onde é transmitida geralmente à nascença.

Nos países mais ricos (prevalência inferior a dois por cento), a transmissão sexual e a utilização de agulhas contaminadas são os principais meios de contaminação.

Existe uma vacina contra a doença considerada muito eficaz e vários tratamentos para evitar que os que têm o vírus desenvolvam uma cirrose ou cancro do fígado. Ainda assim, 650.000 pessoas morrem anualmente de hepatite B.

Muitos dos infetados não sabem que têm o vírus devido à ausência de sintomas, explicou o chefe do programa mundial contra a hepatite da OMS, Stefan Wiktor, referindo ainda o número insuficiente de laboratórios capazes de fazerem os testes de rastreio ou as dificuldades de acesso aos tratamentos.

"Dispomos dos instrumentos (...) Só precisamos de agir", disse.

A OMS recomenda a utilização de dois medicamentos para o tratamento da doença, seguros e muito eficazes, o tenofovir e o entecavir, já disponíveis em numerosos países sob a forma de genéricos.

Recomenda igualmente um controlo regular dos pacientes para avaliar se o tratamento funciona e para o rastreio precoce do cancro do fígado.

A agência da ONU sublinha ainda a importância da prevenção, recomendando a vacinação de todas as crianças contra a hepatite B, com a tomada da primeira dose à nascença.

Lusa

  • Passos elogia escolha de Paulo Macedo mas diz que não é suficiente
    1:47

    Caso CGD

    Pedro Passos Coelho diz que Paulo Macedo é competente para liderar os destinos da Caixa Geral de Depósitos, mas que a nomeação do antigo ministro não é suficiente para passar uma esponja sobre o assunto. Em Viseu, o líder do PSD não quis ainda avançar com um nome para a Câmara de Lisboa, depois de Santana Lopes afastar a hipótese de se candidatar.

  • O impacto e as consequências do referendo em Itália
    1:02
  • O novo coala do zoo de Lisboa
    3:10

    País

    A SIC acompanhou em exclusivo a transferência de uma coala da Alemanha para o Zoo de Lisboa. O animal veio de avião e foi batizado pelos passageiros que seguiam a bordo. Ficou com o nome de Goolara. O coala é uma fêmea, com quase dois anos, e veio para aumentar a família da mesma espécie em Portugal.

  • Jovens do exército russo aderem ao Desafio do Manequim
    1:01

    Mundo

    Na Rússia, o grupo de jovens do exército também já aderiu ao famoso Mannequin Challenge. O vídeo foi divulgado pelo Ministério da Defesa russo. O objetivo é mostrar o dia-a-dia do chamado exército de jovens, cuja principal missão passa por sensibilizar os russos para a necessidade de cumprir o serviço militar obrigatório.