sicnot

Perfil

Mundo

Dois agentes baleados em frente à esquadra de Ferguson

galeria de fotos

Dois agentes foram baleados hoje de madrugada nos EUA, num tiroteio em frente ao departamento da polícia de Ferguson, no estado norte-americano do Missouri, onde um jovem negro foi morto a tiro pela polícia no verão passado.

© Kate Munsch / Reuters

© Kate Munsch / Reuters

© Kate Munsch / Reuters

© Kate Munsch / Reuters

AP/ Jeff Roberson

AP/ Jeff Roberson

Fontes policiais, citada pela agência noticiosa Efe, indicaram ao jornal St. Louis Post-Dispatch que ainda é desconhecido o estado de saúde dos dois agentes ou a que unidades pertenciam.

O tiroteio ocorreu numa noite em que dezenas de pessoas protestaram em frente ao departamento da polícia local, após a demissão do chefe Thomas Jackson, anunciada na quarta-feira, na sequência de um relatório do Departamento de Justiça dos Estados Unidos sobre as práticas discriminatórias dos agentes e das autoridades da cidade.

A demissão, que produz efeitos a 19 de março, figura como a mais recente de uma série de outras por parte de várias figuras do poder local, desencadeadas pelo caso de Michael Brown, um jovem negro de 18 anos, que estava desarmado quando foi abatido a tiro em agosto do ano passado pelo polícia branco Darren Wilson.

O caso de Ferguson, que desencadeou massivos protestos, reabriu dois debates chave nos Estados Unidos: a discriminação racial e a violência policial.


Lusa
  • "Não podemos fazer de Lisboa uma cidade para turistas"
    2:44

    Opinião

    Miguel Sousa Tavares analisou esta segunda-feira, no Jornal da Noite da SIC, o mandato de Fernando Medina na Câmara de Lisboa. O comentador da SIC defendeu que o autarca tem "muitos problemas por resolver" e que a Câmara tem investido "mais na recuperação de zonas em que os lisboetas praticamente não conseguem ir". Sousa Tavares disse ainda que Lisboa não pode ser uma cidade para turistas.

    Miguel Sousa Tavares

  • "Putin é uma ameaça maior do que o Daesh"
    0:24

    Mundo

    O senador norte-americano John McCain atacou Vladimir Putin dizendo que é uma ameaça maior do que o Daesh. O antigo candidato à Casa Branca acusa a Rússia de querer destruir a democracia ao tentar manipular o resultado das presidenciais dos Estados Unidos.

  • "É muito importante ceder à tentação de se abolir a liberdade"
    1:06