sicnot

Perfil

Mundo

Maior acelerador de partículas do mundo retoma colisão de protões em maio ou junho

O maior acelerador de partículas do mundo deverá retomar a colisão de protões no fim de maio ou em junho, após uma paragem técnica superior a dois anos, anunciou hoje a Organização Europeia para a Pesquisa Nuclear/CERN.

© Denis Balibouse / Reuters

Os testes de reativação do Grande Colisionador de Hadrões (LHC, na sigla inglesa) já começaram, avançou o CERN, do qual Portugal é um dos países-membros.

"Estamos verdadeiramente entusiasmados, porque entrámos numa nova fase", declarou o diretor-geral do CERN, Rolf Heuer, numa conferência de imprensa.

O LHC parou em fevereiro de 2013 para revisão, depois de ter confirmado a existência do Bosão de Higgs, também conhecido como "partícula de Deus", que, para os físicos, é considerada a chave-mestra da estrutura fundamental da matéria.

O Bosão de Higgs valeu, nesse ano, o Prémio Nobel da Física para a dupla François Englert (belga) e Peter Higgs (britânico).

O acelerador de partículas, quando voltar a estar totalmente operacional, vai funcionar com o dobro da energia e com feixes mais intensos.

Os cientistas do CERN esperam descobrir novas partículas, que poderão alterar a compreensão do Universo, e vão sondar a supersimetria, um conceito teórico batizado como "Suzy" que procura explicar a matéria escura, matéria invisível que compõe cerca de um quarto de toda a matéria e energia do Universo e que manifesta a sua presença através dos efeitos gravitacionais que exerce sobre a matéria visível, como as galáxias e as estrelas.

Para Rolf Heuer, o LHC "está em tempo de encontrar uma falha no Modelo Padrão [que descreve as partículas fundamentais que formam toda a matéria]", uma vez que, lembrou, 95 por cento do Universo continua por desvendar.

Feixes contendo mil milhões de protões, e lançados a uma velocidade muito próxima da luz, vão circular no interior do LHC, um túnel no subsolo com 27 quilómetros de comprimento e localizado na fronteira franco-suíça.


Lusa
  • Isto não é não jornalismo. Por Ricardo Costa

    Opinião

    Uma das decisões mais banais e corriqueiras do jornalismo assenta nas escolhas que se fazem no dia a dia. Que temas se abordam, que destaque se dá a este ou aquele assunto, que ângulos de abordagem se usam. São opções condicionadas por uma série de fatores - que vão do interesse e da novidade até questões tão básicas como o haver ou não jornalistas com tempo, meios e conhecimentos para o fazerem -, que estão e estarão na base de qualquer dia de trabalho numa redação.

    Ricardo Costa

  • Marcelo não vai enviar recados ao Governo no discurso do 25 de Abril
    0:22

    País

    Marcelo Rebelo de Sousa garante que não vai aproveitar o discurso do 25 de Abril para enviar recados ao Governo ou aos atores políticos. Em declarações à SIC, à margem da iniciativa "Escritores no Palácio de Belém", o Presidente da República explicou o que não vai dizer na intervenção de amanhã, na Assembleia da República.

  • Bruxelas multa Altice em 125 M€ devido à compra da PT

    Economia

    Os Serviços da Concorrência da Comissão Europeia decidiram multar a Altice em 125 milhões de euros no âmbito da compra da PT Portugal. Bruxelas avançou com a multa à Altice por ter começado a gerir a PT antes do negócio ter sido aprovado pela Comissão Europeia.

  • "Não há nenhuma meta com Bruxelas", garante Centeno no Parlamento
    0:57

    Economia

    O ministro das Finanças afirma que o Programa de Estabilidade é debatido em Lisboa e não em Bruxelas.Esta manhã, no Parlamento, Mário Centeno assegurou ainda que as metas são as mesmas com que se comprometeu no programa do Governo e garante que não há nenhuma meta acordada com Bruxelas.