sicnot

Perfil

Mundo

11 menores e cinco adultos detidos na Turquia a caminho do Estado Islâmico

A polícia turca deteve 16 indonésios, incluindo 11 menores, quando tentavam atravessar a fronteira com a Síria para alegadamente se juntarem ao grupo Estado Islâmico (EI), informou hoje a imprensa local.

© Thaier Al-Sudani / Reuters

Trata-se do segundo caso do género no espaço de uma semana. 

O ministro da Coordenação Política indonésio, Tedjo Edhy Purdijatno, confirmou ao jornal The Jakarta Post que os 16 detidos, que incluem quatro mulheres e 11 menores de idade, se encontram atualmente na localidade turca fronteiriça de Gaziantep.

Tedjo Edhy Purdijatno indicou que o Governo de Jacarta não pôde, porém, apurar se o grupo pretendia juntar-se ao EI, mas adiantou que uma das mulheres admitiu que viajava para a Síria para se juntar ao marido.

As detenções ocorreram uma semana depois de outros 16 indonésios, que compunham três famílias, se terem separado do grupo turístico com o qual chegaram à Turquia para presumivelmente se unirem à mesma organização 'jihadista'.

A Indonésia, país com mais muçulmanos do mundo, não dispõe de qualquer norma que impeça os seus cidadãos de se aliarem a grupos radicais no estrangeiro.


Lusa


  • "Os governos são diferentes mas o povo é o mesmo"
    0:45

    Economia

    O Presidente da República atribui o resultado do défice do ano passado ao espírito de sacrifício do povo português. Num jantar em Coimbra para assinalar o Dia do Estudante, Marcelo Rebelo de Sousa considerou ainda que o valor do défice de 2016 é a prova de que com governos diferentes conseguem-se os mesmos objetivos.

  • Recuo na saúde é primeira derrota de peso para Donald Trump
    1:18

    Mundo

    O Presidente norte-americano sofreu esta sexta-feira uma derrota de peso. O líder da Câmara dos Representantes retirou a proposta do plano de saúde de Trump, que se preparava para um chumbo na câmara baixa do Congresso. Para já, mantém-se o Obamacare.

  • Pai do piloto da Germanwings defende inocência do filho

    Mundo

    O pai de Andreas Lubitz declarou esta sexta-feira que o filho não é o responsável pelo embate do avião da Germanwings contra um local montanhoso, que fez 150 mortos. O Ministério Público alemão concluiu em janeiro que o incidente em 2015 foi apenas da responsabilidade do piloto.