sicnot

Perfil

Mundo

Papa diz pensar que pontificado será breve e não se sente só

O papa Francisco declarou hoje, no segundo aniversário da eleição, ter "a sensação" que o pontificado pode ser breve, de quatro ou cinco anos, mas desmentiu sentir-se "só e sem apoio". 

O Papa Francisco surge na quarta posição.

O Papa Francisco surge na quarta posição.

© Tony Gentile / Reuters

Numa longa entrevista à cadeia de televisão mexicana Televisa, divulgada integralmente pela Rádio Vaticana, Jorge Bergoglio, 265.º sucessor do apóstolo Pedro, respondeu francamente sobre a possível duração do seu papado, que pode concluir-se com a sua morte ou com uma demissão. 

"Tenho a sensação que o meu pontificado vai ser breve. Quatro ou cinco anos. Não sei. Ou dois ou três. Dois já passaram. É uma sensação um pouco vaga que tenho, a de que o Senhor me escolheu para uma missão breve. Sobre isso, mantenho a possibilidade em aberto", afirmou.

Bento XVI, que foi o primeiro papa em sete séculos a resignar ao cargo, em fevereiro de 2013, "abriu a porta com muito mérito para os papas eméritos. Abriu uma porta institucional", sublinhou. 

Francisco, de 78 anos, não disse que pretende demitir-se um dia. Declarações anteriores neste sentido geraram várias críticas e fortes reações junto de alguns teólogos conservadores. 

"Não me agrada muito", afirmou, sobre a ideia de fixar um limite de idade, aos 80 anos, para a resignação de um papa. O cargo de papa "é uma graça especial", disse. 

Decretar que o fim é aos 80 anos "iria criar uma sensação de fim, de um pontificado destinado a não se acabar bem", acrescentou, aparentemente para tranquilizar os mais conservadores. 

Francisco observou que, para alguns teólogos, a eleição para o pontificado é "um sacramento", mesmo "se não pensa assim". 

O papa falou também do antecessor Bento XVI, retirado no Vaticano, que está "feliz, satisfeito, respeitado por todos". 

"Visito-o, muitas vezes telefono-lhe. Podemos pedir-lhe conselhos. É leal até à morte", garantiu. 

À pergunta "gosta de ser papa?", Francisco respondeu sobriamente e sem entusiamo excessivo: "Não me desagrada". Sublinhou que sempre detestou viajar e que é uma pessoa caseira. 

"A única coisa de que gostava era de poder sair um dia, sem que ninguém me reconhecesse, e ir comer uma 'pizza'", afirmou. 

"Não me sinto só. A sério que não", afirmou, respondendo a uma outra questão. 

Lusa
  • Divorciados vão poder dividir filhos no IRS 

    Economia

    Os divorciados vão passar a poder dividir os filhos no IRS (imposto sobre o rendimento singular) e o Governo está a estudar soluções para que em 2018 haja um novo sistema para lidar com a guarda conjunta de filhos.

  • "Os governos são diferentes mas o povo é o mesmo"
    0:45

    Economia

    O Presidente da República atribui o resultado do défice do ano passado ao espírito de sacrifício do povo português. Num jantar em Coimbra para assinalar o Dia do Estudante, Marcelo Rebelo de Sousa considerou ainda que o valor do défice de 2016 é a prova de que com governos diferentes conseguem-se os mesmos objetivos.

  • Recuo na saúde é primeira derrota de peso para Donald Trump
    1:18

    Mundo

    O Presidente norte-americano sofreu esta sexta-feira uma derrota de peso. O líder da Câmara dos Representantes retirou a proposta do plano de saúde de Trump, que se preparava para um chumbo na câmara baixa do Congresso. Para já, mantém-se o Obamacare.

  • Pai do piloto da Germanwings defende inocência do filho

    Mundo

    O pai de Andreas Lubitz declarou esta sexta-feira que o filho não é o responsável pelo embate do avião da Germanwings contra um local montanhoso, que fez 150 mortos. O Ministério Público alemão concluiu em janeiro que o incidente em 2015 foi apenas da responsabilidade do piloto.