sicnot

Perfil

Mundo

Papa diz pensar que pontificado será breve e não se sente só

O papa Francisco declarou hoje, no segundo aniversário da eleição, ter "a sensação" que o pontificado pode ser breve, de quatro ou cinco anos, mas desmentiu sentir-se "só e sem apoio". 

O Papa Francisco surge na quarta posição.

O Papa Francisco surge na quarta posição.

© Tony Gentile / Reuters

Numa longa entrevista à cadeia de televisão mexicana Televisa, divulgada integralmente pela Rádio Vaticana, Jorge Bergoglio, 265.º sucessor do apóstolo Pedro, respondeu francamente sobre a possível duração do seu papado, que pode concluir-se com a sua morte ou com uma demissão. 

"Tenho a sensação que o meu pontificado vai ser breve. Quatro ou cinco anos. Não sei. Ou dois ou três. Dois já passaram. É uma sensação um pouco vaga que tenho, a de que o Senhor me escolheu para uma missão breve. Sobre isso, mantenho a possibilidade em aberto", afirmou.

Bento XVI, que foi o primeiro papa em sete séculos a resignar ao cargo, em fevereiro de 2013, "abriu a porta com muito mérito para os papas eméritos. Abriu uma porta institucional", sublinhou. 

Francisco, de 78 anos, não disse que pretende demitir-se um dia. Declarações anteriores neste sentido geraram várias críticas e fortes reações junto de alguns teólogos conservadores. 

"Não me agrada muito", afirmou, sobre a ideia de fixar um limite de idade, aos 80 anos, para a resignação de um papa. O cargo de papa "é uma graça especial", disse. 

Decretar que o fim é aos 80 anos "iria criar uma sensação de fim, de um pontificado destinado a não se acabar bem", acrescentou, aparentemente para tranquilizar os mais conservadores. 

Francisco observou que, para alguns teólogos, a eleição para o pontificado é "um sacramento", mesmo "se não pensa assim". 

O papa falou também do antecessor Bento XVI, retirado no Vaticano, que está "feliz, satisfeito, respeitado por todos". 

"Visito-o, muitas vezes telefono-lhe. Podemos pedir-lhe conselhos. É leal até à morte", garantiu. 

À pergunta "gosta de ser papa?", Francisco respondeu sobriamente e sem entusiamo excessivo: "Não me desagrada". Sublinhou que sempre detestou viajar e que é uma pessoa caseira. 

"A única coisa de que gostava era de poder sair um dia, sem que ninguém me reconhecesse, e ir comer uma 'pizza'", afirmou. 

"Não me sinto só. A sério que não", afirmou, respondendo a uma outra questão. 

Lusa
  • As IPSS são estruturantes no país. Fazem o que Estado não faz porque não pode, não quer, ou não chega a tudo. Chama-se sociedade civil a funcionar. E o Estado subsidia, ajuda, (com)participa, apoia. Nada contra. A questão é quando as IPSS e outras instituições, fundações, associações, federações e quejandas se tornam verdadeiras "indústrias".

    Pedro Cruz

  • O ano "saboroso" de António Costa
    0:51

    País

    António Costa diz que 2017 foi um ano "saboroso" para Portugal. Num encontro com funcionários portugueses, em Bruxelas, antes do Conselho Europeu desta quinta-feira, o primeiro-ministro realçou o que o país conquistou no último ano, no plano europeu, e que culminou com a eleição de Mário Centeno para a Presidência do Eurogrupo.

  • Lince ibérico esteve à venda no OLX

    País

    Um anúncio de venda de um lince ibérico, por 1.500 euros, foi publicado esta semana no site de classificados OLX, com uma morada de Alcoutim, no Algarve. A autenticidade da publicação não foi confirmada, mas em setembro foi encontrada a coleira de um lince ibérico precisamente em Alcoutim. As autoridades estão a investigar.

    SIC

  • Estabilização dos solos nas áreas ardidas
    1:58

    País

    Está a começar uma intervenção de emergência para estabilizar os solos nas áreas ardidas nos incêndios florestais. O trabalho das equipas que estão no terreno arrancou na zona da Lousã mas vai passar por vários concelhos como Pampilhosa da Serra e Vila Real.