sicnot

Perfil

Mundo

Portugal vai instalar laboratório na Guiné Bissau que deteta Ébola em cinco horas

O laboratório que Portugal vai instalar na Guiné-Bissau é capaz de detetar o vírus Ébola a partir de amostras biológicas num prazo estimado de cinco horas, explicou hoje à agência Lusa uma das responsáveis pela operação.

Laboratório que Portugal vai instalar na Guiné-Bissau deteta vírus do ébola em cinco horas.

Laboratório que Portugal vai instalar na Guiné-Bissau deteta vírus do ébola em cinco horas.

© Baz Ratner / Reuters

Apesar de o espaço ainda não estar montado e testado "a previsão é de, em quatro a cinco horas, termos o resultado final", referiu Sofia Núncio, bióloga do Instituto Nacional de Saúde (INSA) Ricardo Jorge.

O prazo permitirá isolar e tratar casos suspeitos, assim como rastear contactos, com maior rapidez do que até agora - para despistar qualquer caso suspeito, a respetiva amostra tem que ser analisada em Dacar, capital do Senegal, num processo dispendioso e que pode demorar mais de um dia.

Apesar de já ter afetado países vizinhos, desde o início do atual surto, há cerca de um ano, o vírus Ébola não foi detetado na Guiné-Bissau, nem houve nenhum caso suspeito que obrigasse à recolha de amostras.

Sofia Núncio falava hoje à Lusa poucos minutos depois de chegar ao aeroporto de Bissau, integrada numa equipa de 11 pessoas do INSA e do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) de Portugal que vão instalar e gerir um laboratório para deteção de casos de Ébola na capital guineense.

Em cooperação com as autoridades da Guiné-Bissau e restantes parceiros, os técnicos portugueses estarão prontos para receber amostras biológicas de casos suspeitos de infeção pelo vírus.

Nesse caso, a amostra será inserida numa câmara selada e manuseada a partir do exterior com luvas integradas na estrutura.

Num primeiro passo, o vírus "é inativado" - processo que demora cerca de meia-hora - e só depois é feita a despistagem para saber se se trata de Ébola ou não, explicou Sofia Núncio, de uma forma genérica.

A possibilidade de estar cara a cara com o vírus não a intimida, porque o Ébola "já é muito conhecido. Sabemos que trabalhando com algum cuidado e desde que tenhamos equipamento de proteção individual, não é dos vírus que se propaguem com maior facilidade".

A título de comparação, salientou que "o Sarampo propaga-se 100 vezes mais depressa que o Ébola".

O laboratório vai ser instalado dentro do recinto do Hospital Simão Mendes, em Bissau.



Lusa
  • Descobertos fósseis que podem provar existência de vida em Marte

    Mundo

    Fósseis com 3,77 mil milhões de anos, dos mais antigos já descobertos, foram identificados por cientistas de vários países na província do Quebec, no leste do Canadá. As descobertas coincidem no tempo com a altura em que Marte e a Terra tinham água líquida à superfície, o que levanta questões sobre a hipótese de vida extraterrestre.

  • As polémicas declarações de João Braga sobre os Óscares

    País

    A Associação SOS Racismo reagiu esta quarta-feira às palavras do fadista João Braga na sua página no Facebook, sobre a cerimónia de entrega dos Óscares, e disse esperar que a Comissão para a Igualdade e Contra a Discriminação Racial atue de forma exemplar face.

  • "Apelamos ao debate e somos criticados? Então m...."
    0:52
  • Oprah admite candidatar-se à Presidência dos EUA

    Mundo

    A apresentadora norte-americana Oprah Winfrey admitiu, numa entrevista, que a vitória de Donald Trump nas eleições presidenciais de novembro a fez considerar a possibilidade de entrar na corrida à Casa Branca.

  • Temperaturas recorde no "último lugar da Terra"

    Mundo

    A Organização Meteorológica Mundial (OMM) anunciou esta quarta-feira que se registaram nos últimos 37 anos temperaturas altas recorde na Antártida, num local que foi descrito como "o último lugar da Terra".