sicnot

Perfil

Mundo

Presidente de Vanuatu apela à ajuda internacional após passagem de ciclone

O Presidente de Vanuatu, Baldwin Lonsdale, apelou hoje à ajuda da comunidade internacional, depois do ciclone tropical Pam ter devastado aquele arquipélago no Pacífico sul.

Graham Crumb

O chefe de Estado falava na III Conferência Mundial das Nações Unidas sobre a Redução de Riscos de Desastres, que começou hoje na cidade japonesa de Sendai, no nordeste do Japão.

Baldwin Lonsdale descreveu o ciclone tropical, de categoria 5 (o mais intenso), como uma "calamidade", afirmando estar com o "coração destroçado", segundo o 'site' da estação pública britânica BBC.

"Estou a pedir, em nome do governo e do povo de Vanuatu, que a comunidade internacional dê uma ajuda em resposta a esta calamidade (...) que nos atingiu", disse Baldwin Lonsdale.

As agências humanitárias afirmaram que o ciclone afetou áreas povoadas e provocou uma "completa devastação" naquele território.

O Gabinete de Coordenação dos Assuntos Humanitários da ONU afirmou que ainda não existem números oficiais de vítimas mortais e feridos, mas indicou que algumas informações apontam para que pelo menos 44 pessoas tenham morrido na província de Penama, no centro de Vanuatu.

Foi confirmada, até ao momento, a morte de seis pessoas na capital Port Vila, onde vivem cerca de 40 mil pessoas. Segundo as autoridades locais, 80% das casas da cidade ficaram seriamente danificadas.

O ciclone Pam atingiu o pico de intensidade na sexta-feira à noite, registando ventos, em média, entre 250 e 270 quilómetros por hora (km/hora). Em Port Vila, o ciclone tropical chegou a atingir rajadas de 340 km/hora.

O arquipélago de Vanuatu, composto por mais de 80 ilhas que se estendem entre as ilhas Fiji e a Nova Caledônia, é um dos países mais pobres do mundo, sendo igualmente um reconhecido paraíso fiscal.



Lusa

  • Paula Brito e Costa continua a trabalhar na Raríssimas

    País

    Depois de ter apresentado a demissão do cargo de presidente da Raríssimas, Paula Brito e Costa mantém-se a exercer funções na associação, apurou a SIC. Identifica-se agora como diretora-geral e já comunicou isso mesmo a alguns funcionários.

  • As IPSS são estruturantes no país. Fazem o que Estado não faz porque não pode, não quer, ou não chega a tudo. Chama-se sociedade civil a funcionar. E o Estado subsidia, ajuda, (com)participa, apoia. Nada contra. A questão é quando as IPSS e outras instituições, fundações, associações, federações e quejandas se tornam verdadeiras "indústrias".

    Pedro Cruz

  • O ano "saboroso" de António Costa
    0:51

    País

    António Costa diz que 2017 foi um ano "saboroso" para Portugal. Num encontro com funcionários portugueses, em Bruxelas, antes do Conselho Europeu desta quinta-feira, o primeiro-ministro realçou o que o país conquistou no último ano, no plano europeu, e que culminou com a eleição de Mário Centeno para a Presidência do Eurogrupo.

  • Lince ibérico esteve à venda no OLX

    País

    Um anúncio de venda de um lince ibérico, por 1.500 euros, foi publicado esta semana no site de classificados OLX, com uma morada de Alcoutim, no Algarve. A autenticidade da publicação não foi confirmada, mas em setembro foi encontrada a coleira de um lince ibérico precisamente em Alcoutim. As autoridades estão a investigar.

    SIC

  • Estabilização dos solos nas áreas ardidas
    1:58

    País

    Está a começar uma intervenção de emergência para estabilizar os solos nas áreas ardidas nos incêndios florestais. O trabalho das equipas que estão no terreno arrancou na zona da Lousã mas vai passar por vários concelhos como Pampilhosa da Serra e Vila Real.