sicnot

Perfil

Mundo

Um morto e estado de emergência na região chilena de Valparaíso devido a incêndio

Pelo menos uma pessoa morreu, esta sexta-feira, na sequência de um incêndio de grandes dimensões que continua a lavrar na região de Valparaíso, no centro do Chile, onde foi decretado estado de emergência.

© Stringer . / Reuters

Cerca de 4.500 pessoas foram retiradas como medida de prevenção, de acordo com as autoridades chilenas que declararam estado de emergência devido à catástrofe nas cidades de Vina del Mar e Valparaíso, as quais estavam já sob alerta vermelho.

Em conferência de imprensa, o vice-ministro do Interior chileno, Mahmoud Aleuy, explicou que poderia ser retiradas até 16.000 pessoas dependendo do avanço das chamas. 

O incêndio deflagrou numa zona florestal, com as chamas a alastrarem-se rapidamente devido ao vento e às elevadas temperaturas, destruiu cerca de 500 hectares de terras e ameaçou as localidades vizinhas.

"Algumas casas arderam, mas atualmente não sabemos quantas", acrescentou o vice-ministro chileno.

Valparaiso, localizada no centro do Chile, situa-se a aproximadamente uma centena de quilómetros a noroeste da capital, Santiago. 

Em abril de 2014, um incêndio em Valparaiso fez 15 mortos, deixou 12 mil desalojados e consumiu mais de dez mil hectares. 

DM (RN) // DM.

Lusa/Fim

  • Videoamador mostra grupo a atar tocha a um touro
    1:33
  • PJ investiga forma como o FC Porto obteve os e-mails
    1:58

    Desporto

    Enquanto o campeonato português de futebol está de férias do relvado, nos bastidores continua uma guerra aberta por causa dos e-mails. O FC Porto entregou à Polícia Judiciária toda a documentação disponível do chamado caso dos e-mails, que envolve o Benfica num alegado esquema de corrupção. O pedido foi feito pela Unidade Nacional de Combate à Corrupção da PJ. A forma como o FC Porto obteve os e-mails também está a ser investigada pela Polícia Judiciária.

  • Manifestantes bloquearam Caracas

    Mundo

    Milhares de pessoas bloquearam esta sexta-feira as ruas de Caracas e de outras cidades, em protesto contra a repressão e o assassinato de manifestantes pelas forças de segurança.