sicnot

Perfil

Mundo

Unicef diz que ciclone tropical Pam pode ser "um dos piores desastres naturais da história do Pacífico"

O poderoso ciclone tropical Pam, que assolou o Vanuatu e as Ilhas Salomão, poderá ser um dos piores desastres naturais da história do Pacífico, declarou hoje a UNICEF da Nova Zelândia.

© NASA NASA / Reuters

O poderoso ciclone tropical Pam, que assolou o Vanuatu e as Ilhas Salomão, poderá ser um dos piores desastres naturais da história do Pacífico, declarou hoje a UNICEF da Nova Zelândia.

"Embora seja ainda muito cedo para ter certezas, informações preliminares indicam que esta catástrofe natural é potencialmente uma das piores na história do Pacífico", afirmou, em comunicado, Vivien Maidaborn, que dirige a UNICEF na Nova Zelândia.

A declaração foi feita na sequência de relatos de "total devastação" causada pelo ciclone tropical Pam que atingiu O Vanuatu, na categoria máxima (5), na noite de sexta-feira, com organizações não-governamentais a temerem que haja dezenas de mortos.

"A força maior da tempestade aliada ao facto de as comunidades não se terem preparado para resistir a ela poderá ter resultados devastadores para milhares [de pessoas] em toda a região", realçou a mesma responsável.

O ciclone tropical provocou 'apagões' massivos no Vanuatu, com as comunicações cortadas em quase toda a região, pelo que, segundo os serviços de emergência, serão precisas várias horas até que se possa ter uma ideia clara da situação no arquipélago.

O aeroporto da capital, Port Vila, permanece encerrado.

Segundo a UNICEF (Fundo da ONU para a Infância), neste momento, a principal preocupação é garantir abrigo para aqueles que foram afetados pelo potente ciclone tropical. 

Alice Clements, especialista em comunicações para a região do Pacífico da UNICEF, que se encontra em Port Vila, afirmou ser evidente que o ciclone foi dramaticamente mais grave do que o previsto.

As agências humanitárias mobilizam-se para lidar com a situação, tendo a UNICEF indicando estar a trabalhar com as autoridades da proteção civil do Vanuatu, Fiji e Ilhas Salomão.

Trabalhadores da Cruz Vermelha da Austrália deram conta, através da rede social Twitter, da "inacreditável destruição" em Vanuatu, indicando que "as necessidades humanitárias são enormes", dado que "muitas pessoas perderam as suas casas".

O gabinete de coordenação para os assuntos humanitários da ONU revelou estar a tentar confirmar as informações de que o ciclone tropical fez 44 mortos.

Aparentemente, o fenómeno mudou a sua trajetória à última hora, golpeando a capital, de forma mais violenta do que o esperado.

Um funcionário da Proteção Civil escreveu mesmo no Facebook que "qualquer pessoa que não esteja neste momento num abrigo corre perigo".

Do lado oficial não chegaram ainda dados sobre danos materiais, feridos ou vítimas mortais.


Lusa



  • Como não perder Barack e Michelle Obama nas redes sociais

    Mundo

    Sair da Casa Branca implica mais que reunir objetos físicos: é preciso guardar também os tweets, os posts e todo o conteúdo digital produzido nos últimos oito anos pelo Presidente dos EUA e pela primeira-dama. A equipa de Barack Obama já preparou tudo para que nada se perca do seu legado digital.

  • Portugueses querem contratar Obama

    Mundo

    Contratar Barack Obama. Pode parecer uma tarefa impossível, mas para a startup portuguesa Swonkie a única resposta a este desafio é "Yes We Can", mote da campanha presidencial de Obama de há nove anos.

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.