sicnot

Perfil

Mundo

Número de mortos em acidente de autocarro revisto de 55 para 49

As autoridades brasileiras reviram, esta madrugada, de 55 para 49 o número de mortes na sequência de um acidente com um autocarro, ocorrido no sábado, em Campo Alegre, no estado de Santa Catarina, no sul do país. 

googlemaps

Segundo o coordenador regional da Defesa Civil, Antonio Edival Pereira, 48 pessoas morreram no local do sinistro e outra no hospital, indica o jornal A Notícia.

Duas pessoas continuam encarceradas no interior do autocarro que seguia numa zona montanhosa, a 235 quilómetros de Florianópolis, quando se despistou e caiu de uma ribanceira com cerca de 400 metros.

As autoridades locais tinham informado anteriormente que 55 pessoas tinham perdido a vida no acidente do passado sábado.

Entre as vítimas mortais figuram oito crianças e 24 mulheres, indicou a porta-voz do governo regional Ana Paula Keller à agência AFP. 

Uma dezena de feridos foram transportados para vários hospitais da região, com múltiplas fraturas.

De acordo com o mesmo jornal, os passageiros pertenciam a uma comunidade evangélica que se dirigia para a cidade de Guaratuba, no estado do Paraná, para participar num ato religioso.

O acidente ocorreu numa curva fechada da Serra Dona Francisca, uma região turística do norte de Santa Catarina.

Nas operações de salvamento participam cerca de 100 pessoas, apoiadas por viaturas da polícia e bombeiros, bem como por um helicóptero.

LUSA
  • Economia portuguesa a crescer
    2:26
  • Os likes dos candidatos às autárquicas no Facebook
    4:00

    Autárquicas 2017

    Se há mais de 5 milhões de portugueses no Facebook, é natural que as autárquicas também passem pela rede social mais usada no país e no mundo. A SIC apresenta-lhe os 10 candidatos cujas páginas têm mais seguidores e, para a comparação ser mais justa, os que têm mais seguidores em Portugal - porque há também quem estranhamente tenha milhares de fãs em países como Egito, Filipinas ou Vietname.

  • Embaixador do Bangladesh pede ajuda aos portugueses no caso dos rohingya

    Mundo

    O embaixador do Bangladesh em Lisboa pediu esta sexta-feira aos portugueses que ajudem a resolver o problema dos rohingya. Desde o final de agosto, mais de 400 mil pessoas desta minoria muçulmana fugiram de Myanmar, a antiga Birmânia. O Bangladesh já tinha acolhido outros 400 mil refugiados e vê-se agora a braços com esta crise migratória. Pede por isso a Portugal que pressione Myanmar para aceitar de volta e em segurança os rohingya.