sicnot

Perfil

Mundo

Subiu para 51 o número de mortos num acidente de autocarro no estado brasileiro de Santa Catarina

Subiu para 51 o número de mortos num acidente de autocarro no estado brasileiro de Santa Catarina. O veículo caiu numa ravina com 400 metros.

imagens AP

É já considerada a maior tragédia nas estradas do Estado de Santa Catarina o último, com um autocarro argentino há 15 anos matou 42 pessoas. 
Este acidente na zona de Serra, conhecida como Dona Francisca, já ultrapassou a barreira dos 50 mais os feridos e dois desaparecidos que a polícia admite que possam estar debaixo do autocarro que caiu de uma ravina de cerca de 400 metros numa zona de difícil acesso sem luz, rede rádio ou telemóvel. 
Segundo as autoridades brasileiras tratava-se de um grupo que saiu de União da Vitória e atravessava Santa Catarina em direcção a um evento religioso em Guaratuba, no vizinho Paraná.
Há suspeitas de que haveria um outro autocarro envolvido na viagem
mas um problema técnico terá obrigado a concentrar todos os passageiros neste veículo maior
Com capacidade para 51 lugares sentados suspeita-se que o autocarro seguia sobrelotado e várias crianças não terão sido contabilizadas no número de passageiros.
Entre as vítimas mortais contam-se oito crianças, 3 adolescentes, 24 mulheres e 14 homens incluindo o motorista, que vai agora ser sujeito a autópsia para se perceber se existiu alguma alteração súbita no estado de saúde do condutor que possa ajudar a explicar este aparatoso despiste
que provocou mais de meia centena de vítimas.
  • Família perde tudo na aldeia de Queirã
    2:32
  • Temperaturas sobem no fim de semana, risco de incêndio aumenta
    1:08

    País

    A chuva que caiu nos últimos dias não deverá ter impactos relevantes na dominuição da seca e, por isso, o risco de incêndios vai voltar a aumentar com nova subida das temperaturas. Os termómetros podem chegar aos 30 graus entre domingo e quarta-feira.

  • Não me parece o melhor princípio político, mas percebo que António Costa queira ter junto de si, sobretudo em tempos difíceis, os mais próximos. Os homens de confiança pessoal e política. Em plena tempestade, o primeiro-ministro chamou dois amigos de longa data, ex-colegas da Faculdade de Direito, Eduardo Cabrita e Pedro Siza Vieira. E eles não disseram que não.

    Bernardo Ferrão