sicnot

Perfil

Mundo

Jovens britânicos que planeavam entrar na Síria já estão no Reino Unido

Os três jovens britânicos, detidos na Turquia, porque planeavam entrar na Síria, regressaram este sábado a casa. Estão detidos para interrogatório por suspeita de terrorismo.  

© Umit Bektas / Reuters

Mal pisaram o Reino Unido, os jovens foram detidos para interrogatório. São suspeitos de terrorismo, por alegadamente, quererem ingressar nas fileiras do grupo 'jihadista' Estado Islâmico (EI).  

A polícia britânica foi, sexta-feira passada, alertada pelos familiares de dois dos jovens de 17 anos, agora detidos. Os pais estranharam o facto dos rapazes não terem regressado a casa depois das orações. 

A unidade antiterrorista da polícia britânica foi informada de que existiam suspeitas sobre as intenções do grupo de viajar para a Síria e de integrar as fileiras do grupo extremista.

Um terceiro elemento, um rapaz de 19 anos, ter-se-à encontrado com os outros dois no aeroporto.

"Os agentes alertaram as autoridades turcas para intercetarem os três jovens e evitar a sua entrada na Síria", disse um porta-voz da polícia britânica, acrescentando que as autoridades estariam em contacto com as famílias dos adolescentes.

Os três rapazes britânicos (dois de 17 anos e outro de 19 anos), são oriundos da zona norte de Londres.

Esta detenção acontece poucas semanas depois de três adolescentes londrinas, de 15 e de 16 anos, terem fugido para a Turquia com a intenção de passar a fronteira síria, depois de terem sido presumivelmente recrutadas para o EI.

Com Lusa




  • Obama diz que Guterres "tem uma reputação extraordinária"
    1:38

    Mundo

    António Guterres diz que vai trabalhar com Barack Obama e também com Donald Trump, na reforma das Nações Unidas. O futuro secretário-geral da ONU foi recebido por Obama, na Casa Branca, onde recebeu vários elogios do presidente norte-americano.

  • Mãe do guarda-redes da Chapecoense comove o Brasil
    1:37
  • Morreu o palhaço que fazia rir as crianças de Alepo

    Mundo

    Anas al-Basha, mais conhecido como o Palhaço de Alepo, morreu esta terça-feira durante um bombardeamento aéreo na zona dominada pelos rebeldes. O funcionário público mascarava-se de palhaço para ajudar a trazer algum conforto e alegria às crianças sírias, que vivem no meio de uma guerra civil.