sicnot

Perfil

Mundo

Netanyahu vai opor-se a criação de Estado palestiniano se for eleito

O primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu, afirmou hoje que se vai opor à criação de um Estado palestiniano se for reeleito nas legislativas de terça-feira.

© Baz Ratner / Reuters

"Todos os que querem a criação de um Estado palestiniano e a retirada dos territórios tornam esses territórios vulneráveis a ataques do extremismo islâmico contra o Estado de Israel. É essa a realidade que se impôs nos últimos anos", disse Netanyahu numa entrevista ao 'site' de informação NRG.

Questionado sobre se queria com isso dizer que não haverá um Estado palestiniano se for eleito para um novo mandato, o primeiro-ministro respondeu: "Exato".

As últimas sondagens realizadas dão uma pequena vantagem à aliança entre o Partido Trabalhista de Isaac Herzog e o Kadima de Tzipi Livni sobre o Likud de Benjamin Netanyahu.

Numa outra entrevista, à rádio pública israelita, Netanyahu afirmou que "a realidade mudou" desde o discurso de junho de 2009 em que admitiu pela primeira vez publicamente a ideia de um Estado palestiniano ao lado de Israel, o discurso Bar Ilan.

"Esse discurso foi pronunciado antes da tempestade árabe - a chamada 'primavera árabe' -, que abalou o Médio Oriente e trouxe consigo o radicalismo islâmico. Qualquer território que fosse entregue (agora)  seria tomado por islamitas radicais", disse.

"Não é possível aplicarmos o que foi definido no discurso de Bar Ilan quando tudo o que temos do outro lado é terrorismo. Não há forças de paz, não há parceiros de paz", afirmou.


Lusa
  • Atores recriam cena em que um homem é vítima de violência doméstica
    1:35
  • Ministério Público admite eventual detenção do presidente do governo da Catalunha
    2:24
  • Bispo vermelho

    "Recebia trabalhadores e sindicalistas, batia à porta de políticos e empresários, andava pelas ruas da cidade ao encontro dos que das ruas da cidade faziam casa". Joaquim Franco evoca Manuel Martins, o "bispo vermelho".

    Joaquim Franco

  • Apreendidos quase 7.000 comprimidos ilegais vendidos pela internet
    1:43

    País

    O Infarmed e a Autoridade Tributária apreenderam perto de 7.000 unidades de comprimidos ilegais.A apreensão aconteceu no âmbito de uma operação internacional da Interpol de combate aos medicamentos ilegais vendidos pela internet, explicou à SIC Luís Sande e Castro, diretor da Unidade de Inpeção do Infarmed.

  • Passageiro detido com 1 kg de ouro no reto

    Mundo

    Os funcionários da alfândega do aeroporto de Colombo, Sri Lanka, estranharam o comportamento de um passageiro que "caminhava com dificuldade". Um exame completo revelou a valiosa carga que levava escondida... no tubo intestinal.