sicnot

Perfil

Mundo

Dezasseis pessoas serão julgadas no Egito por violência ligada ao futebol

Dezasseis pessoas, entre as quais 12 adeptos de futebol, vão ser julgadas no Egito por envolvimento em violências em fevereiro diante de um estádio, que causaram mais de 20 mortos, indicou hoje a procuradoria.

Confrontos após o jogo de futebol entre as equipas do Al-Ahly e Al-Masry

Confrontos após o jogo de futebol entre as equipas do Al-Ahly e Al-Masry

© Stringer . / Reuters

Testemunhas e adeptos tinham acusado a polícia de ser responsável pelo incidente de 8 de fevereiro, considerando que provocou um tumulto ao disparar gás lacrimogéneo de forma desproporcionada contra espetadores "presos" entre grades numa entrada do estádio.

Dia 8 de fevereiro jogavam os clubes de Zamalek e de Enppi, num dos principais jogos da primeira divisão abertos ao público desde que, em 2012, o Governo impôs um bloqueio a estes jogos na sequência de violências mortíferas ligadas ao futebol em Port-Said (norte).

Em fevereiro de 2012, 74 pessoas morreram em Port-Said em confrontos entre adeptos de dois clubes rivais.

Num comunicado, a procuradoria acusa os adeptos do grupo Ultras White Knights do clube de Zamalek de terem sido financiados pela Irmandade Muçulmana para "realizarem atos de vandalismo e violência durante o evento desportivo" de 8 de fevereiro.

Os adeptos usaram "força e violência face às forças da ordem" o que levou "a polícia a disparar gás lacrimogéneo para os dispersar", indica a procuradoria.

"Isso conduziu ao caos e a tumulto entre os adeptos que tentaram entrar no estádio (...), o que provocou mortos e feridos", adianta o comunicado, que refere um balanço de 22 mortos no incidente.

No total, 16 acusados, 12 dos quais "membros da Irmandade Muçulmana e adeptos do clube de Zamalek", serão julgados por "homicídio involuntário, vandalismo e resistência à autoridade".

A Irmandade Muçulmana foi considerada uma organização terrorista pelo regime egípcio após o derrube em 2013 do presidente islamita Mohamed Morsi. As autoridades, que lançaram uma repressão sangrenta contra a oposição islamita, são acusadas de instrumentalizar a justiça nessa perseguição.

Lusa

  • O dia que roubou dezenas de vidas em Pedrógrão Grande
    3:47
  • Morreu Miguel Beleza

    País

    Miguel Beleza, economista e antigo ministro das Finanças, morreu esta quinta-feira de paragem cardio-respiratória aos 67 anos.

  • "Estamos a ficar sem espaço. Está na hora de explorar outros sistemas solares"

    Mundo

    O físico e cientista britânico Stephen Hawking revelou alguns dos seus desejos para um novo plano de expansão espacial. Hawking está em Trondheim, na Noruega, para participar no Starmus Festival que promove a cultura científica. E foi lá que o físico admitiu que a população mundial está a ficar sem espaço na Terra e que "os únicos lugares disponíveis para irmos estão noutros planetas, noutros universos".

    SIC

  • Não posso usar calções... visto saias

    Mundo

    Perante a proibição de usar calções no emprego, um grupo de motoristas franceses adotou uma nova moda para combater o calor. Os trabalhadores decidiram trocar as calças por saias, visto que a peça de roupa é permitida no uniforme da empresa para a qual trabalham.

  • De refugiada a modelo: a história de Mari Malek

    Mundo

    Mari Malek chegou aos Estados Unidos da América quando era ainda uma criança. Chegada do Sudão do Sul, a menina era uma refugiada à procura de um futuro melhor, num país que não era o seu. Agora, anos depois, Mari Malek é modelo, DJ e atriz, e vive em Nova Iorque. Fundou uma organização sediada no país onde nasceu voltada para as crianças que passam por dificuldade, como também ela passou.