sicnot

Perfil

Mundo

Irão diz que acordo sobre nuclear está próximo, Estados Unidos mais cautelosos

O Irão diz ter resolvido com os Estados Unidos "90 por cento das questões técnicas" sobre o programa nuclear, mas Washington reitera que hipóteses de acordo se mantêm nos 50 por cento.

© Brian Snyder / Reuters

As negociações bilaterais entre Irão e Estados Unidos sobre a questão nuclear, que estão a decorrer em Lausanne, na Suíça, devem estar concluídas até final do mês.

A partir de Teerão, Ali Akbar Salehi, chefe da Organização de Energia Atómica Iraniana, disse hoje, citado pela página na internet da televisão estatal, que "90 por cento das questões técnicas" estão resolvidas.

De acordo com o mesmo responsável, persistem "divergências apenas sobre uma questão maior", que vão "tentar resolver no encontro desta noite" entre os chefes da diplomacia dos dois países, Muhammad Javad Zarif e John Kerry, que hoje estiveram reunidos durante quatro horas.

Do lado dos Estados Unidos, o otimismo é mais refreado, com um porta-voz da Casa Branca a dizer que, para o Presidente Barack Obama, as hipóteses de se chegar a um acordo permanecem nos 50 por cento.

"A probabilidade de se atingir um acordo não se alterou", afirmou Josh Earnest. "O cenário, na melhor das hipóteses, é de 50/50", concretizou.

O Irão e as potências do Grupo 5+1 (EUA, China, Rússia, França, Reino Unido e Alemanha) tentam chegar a um acordo de princípio sobre o programa nuclear de Teerão até 31 de março.

A intenção é autorizar algumas atividades nucleares civis, mas impedir Teerão de adquirir uma arma atómicas através do seu controverso programa nuclear, sendo que, em troca dessa garantia, as sanções internacionais sobre a economia iraniana seriam gradualmente levantadas.

Lusa

  • "Quem faz isto sabe estudar os dias e o vento para arder o máximo possível"
    4:15
  • O balanço trágico dos incêndios do fim de semana
    0:51

    País

    Mais de 500 mil hectares de área ardida, 42 vítimas mortais, 71 de feridos, dezenas de casas e empresas destruídas. É este o balanço de mais um fim de semana trágico para Portugal a nível de incêndios florestais.

  • 2017: o ano em que mais território português ardeu
    1:41

    País

    Desde janeiro, houve mais área ardida do que em qualquer outro ano na história registada de incêndios florestais. Segundo dados provisórios do Sistema Europeu de Informação sobre Fogos Florestais, mais de 519 mil hectares foram consumidos pelas chamas até 17 de outubro, o que representa quase 6% de toda a área de Portugal. 

  • "Viverei com o peso na consciência até ao último dia"
    3:00
  • O que resta de Tondela depois dos incêndios
    1:07

    País

    O concelho de Tondela é agora um mar de cinzas, imagens recolhidas pela SIC com um drone mostram bem a dimensão do que foi destruído pelos incêndios. Perto 100 habitações principais ou secundárias, barracões, oficinas e stands arderam. 

  • Moradores reuniram esforços para salvar idosos das chamas em Pardieiros
    2:50

    País

    O incêndio de domingo em Nelas fez uma vítima mortal: um homem de 50 anos, de Caldas da Felgueira, que regressava de uma aldeia vizinha, onde tinha ido ajudar a combater as chamas. Em Pardieiros, no concelho de Carregal do Sal, várias casas arderam e uma jovem sofreu queimaduras ao fugir do incêndio. Durante o incêndio, pessoas reuniram esforços para salvar a povoação.

  • Cinco unidades fabris em Tondela destruídas pelas chamas
    3:06

    País

    As contas finais dos prejuízos na zona industrial de Tondela ainda não são definitivas, mas há cinco unidades fabris que foram atingidas pelas chamas. O aterro sanitário do Planalto Beirão foi também atingido pelo fogo que atravessou Tondela, onde ardeu o equivalente a 20 anos de resíduos orgânicos.

  • As lágrimas do primeiro-ministro do Canadá

    Mundo

    O primeiro-ministro da Canadá, Justin Trudeau, emocionou-se esta quarta-feira ao falar de um artista que morreu depois de perder uma luta contra o cancro. Gord Downie, vocalista da banda de rock canadiana "The Tragically Hip", faleceu esta terça-feira, aos 53 anos, vítima de um tumor cerebral.