sicnot

Perfil

Mundo

Messenger do Facebook vai permitir enviar dinheiro

A aplicação Messenger, do Facebook, já não serve, somente, para enviar "smiles", fotos e texto. Segundo o The New York Times, o serviço de mensagens instantâneas vai poder ser usado para enviar dinheiro.

© Dado Ruvic / Reuters

A rede social Facebook anunciou, esta terça-feira, que os utilizadores norte-americanos da aplicação Messenger vão poder, através dos cartões de débito, transferir dinheiro tão facilmente como enviar uma mensagem ou texto.

Devido à dimensão do Facebook, a introdução desta nova funcionalidade - que foi antecipada por Wall Street - pode causar tremores no mercado emergente que permite enviar dinheiro.

O WeChat (que é, essencialmente, o Facebook da China) e outros serviços de comunicação baseados na Ásia, como o Alipay, permitem aos centenas de milhares de utilizadores mandarem dinheiro por mensagens instantâneas. No entanto, a tecnologia só está a começar a aparecer agora nos Estados Unidos.

A empresa da aplicação do Messenger é uma das maiores do Mundo, com mais de 500 milhões de utilizadores por mês.

Com este serviço, o Facebook quer simplificar o processo tanto quanto possível, de acordo com Steve Davis, gerente de produtos que está à frente do projeto. "Sabemos que as conversas sobre dinheiro estão sempre a acontecer", afirmou numa entrevista. "Mas a maior parte começam num sítio e terminam noutro".

O Facebook quer manter o pagamento e a conversa em apenas uma mensagem. Assim, mesmo ao lado do botão de "like" estará um ícone com um dólar. Se um número de cartão de crédito já estiver guardado na aplicação, vai ser possível enviar dinheiro para a pessoa com quem se está a conversar clicando no sinal do dólar para se introduzir, posteriormente, uma quantia. Toda a conversa é guardada para referência futura.

Por usar cartões de débito para assegurar a transferência, o dinheiro move-se relativamente rápido entre as duas contas bancárias o que permite à rede social de Mark Zuckerberg oferecer um serviço grátis e sem quaisquer encargos para os utilizadores.
  • "O bom senso obriga a acordo para a estabilização do sistema financeiro"
    2:06

    Economia

    O Presidente da República disse esta quarta-feira que "o bom senso obriga a que todos estejam de acordo para a estabilização do sistema financeiro". Num aparente recado a Passos Coelho, Marcelo apelou a um consenso de regime e avisou que "não há prazer tático que justifique o desgaste" provocado pelas divisões atuais.

  • Uma alternativa aos serviços de enfermagem ao domicílio
    7:34
  • Familiares de vítimas procuram destroços do MH370
    1:48

    Voo MH370

    Um grupo de familiares das vítimas do avião das linhas aéreas da Malásia, desaparecido em 2014, procuram destroços do aparelho em Madagáscar. As autoridades malaias estudam a posssibilidade de uma nova operação de buscas.

  • Primeiro-ministro em lágrimas ao reencontrar refugiado que recebeu no Canadá em 2015

    Mundo

    Justin Trudeau desfez-se em lágrimas no reencontro com um refugiado sírio, que ele recebeu no Canadá em 2015. No ano passado, Trudeau recebeu pessoalmente os refugiados no aeroporto, onde foi visto a entregar casacos de inverno aos migrantes. Esta segunda-feira, o primeiro-ministro conheceu algumas das famílias que se estabeleceram no país, numa reunião filmada pela emissora canadiana CBC.