sicnot

Perfil

Mundo

Quase 6 milhões de eleitores escolhem hoje próximo Governo de Israel

Quase 6 milhões de eleitores escolhem hoje próximo Governo de Israel

Quase 6 milhões de israelitas decidem hoje, em legislativas antecipadas, se o atual primeiro-ministro Benjamin Netanyahu continua a chefiar o Governo. As urnas mantêm-se abertas durante 15 horas numa eleição que promete ser renhida entre o atual primeiro- ministro e a União Sionista, uma coligação de centro esquerda.

  • Último dia de campanha eleitoral em Israel

    Mundo

    Hoje é o último dia de campanha eleitoral em Israel. Milhões de israelitas vão amanhã a votos para escolherem um novo governo. A eleição irá determinar se o atual primeiro-ministro Benjamin Netanyahu consegue mais um mandato.

  • Sondagens indicam que Herzog vai conseguir mais quatro deputados que Netanyahu em Israel
    4:36

    Mundo

    Segundo as últimas sondagens em Israel, o partido trabalhista de centro esquerda presidido por Yitzhak Herzog vai conseguir mais quatro deputados do que o primeiro ministro conservador Beniamin Netanyahu . A pergunta é quem terá mais possibilidades de formar uma coligação e de ser o próximo primeiro-ministro de Israel. Netanyahu reconheceu nas últimas horas que uma derrota do seu partido o Likud é possível.

  • O primeiro dia de Donald Trump na Casa Branca
    3:05
  • Advogados de Sócrates queixam-se de bullying processual e mediático
    2:13

    Operação Marquês

    Os advogados de José Sócrates queixam-se de bullying processual e mediático e garantem que o antigo primeiro-ministro nunca favoreceu Ricardo Salgado ou o Grupo Espirito Santo. Segundo o Expresso, o presidente da Escom, Helder Bataglia, terá admitido que Ricardo Salgado utilizou uma conta bancária do empresário, na Suíça, para passar 12 milhões de euros a Carlos Santos Silva, alegadamente para o amigo José Sócrates.

  • Marine Le Pen diz que Brexit terá efeito dominó na UE
    0:39

    Brexit

    Marine Le Pen diz que o Brexit vai ter um efeito dominó na União Europeia. Durante um congresso da extrema-direita, a líder da Frente Nacional francesa afirmou que a Europa vai despertar este ano em que estão marcadas eleições em vários países, como a Alemanha e a Holanda.