sicnot

Perfil

Mundo

Supermercados venezuelanos limitam venda de alguns produtos a um dia da semana

A Central Madeirense (CM), uma das principais redes de supermercados portugueses da Venezuela, anunciou esta terça-feira que venderá produtos escassos no mercado apenas uma vez por semana a cada cliente.

Cada cliente poderá comprar somente de acordo com a terminação do seu Bilhete de Identidade (BI) venezuelano, refere o anúncio colocado na entrada das 54 sucursais da rede de supermercados. (Arquivo)

Cada cliente poderá comprar somente de acordo com a terminação do seu Bilhete de Identidade (BI) venezuelano, refere o anúncio colocado na entrada das 54 sucursais da rede de supermercados. (Arquivo)

© Jorge Silva / Reuters

Cada cliente poderá comprar somente de acordo com a terminação do seu Bilhete de Identidade (BI) venezuelano, refere o anúncio hoje colocado na entrada das 54 sucursais da rede de supermercados. 

A verificação será feita por um segurança nas filas de compradores, que só deixará passar os clientes de acordo com o número do documento de identificação.

As restrições, segundo fonte da rede de supermercados, aplicam-se apenas para quase três dezenas de produtos cujos preços são subsidiados pelo Governo venezuelano e que os clientes se queixam de que são difíceis de conseguir no mercado local.

"O serviço de padaria, aparelhos e outros alimentos (cujo preço não está regulado) podem adquirir-se sem restrição, dependendo de existirem" em stock, disse a mesma fonte.

Na Venezuela são cada vez mais frequentes as queixas dos venezuelanos sobre as dificuldades para conseguir produtos essenciais como o leite, óleo, café, açúcar, margarina, fraldas, papel higiénico, lâminas de barba, champô, sabonetes, preservativos, entre outros.

Diariamente os supermercados registam grandes filas de clientes à procura de produtos que muitas vezes são comprados na totalidade sem sequer serem colocados nas prateleiras.

Para conseguir os produtos, os venezuelanos podem ter de estar várias horas diárias nas filas de diferentes estabelecimentos comerciais.
Lusa
  • Portugal com 3.ª maior dívida pública da UE

    Economia

    A dívida pública recuou, em termos homólogos, na zona euro e na União Europeia (UE), no primeiro trimestre, tendo Portugal registado a terceira maior dos 28 (130,5%), depois da Grécia e de Itália, divulga hoje o Eurostat.

  • Crianças no Daesh - 2ª Parte
    23:43
  • Montenegro e o futuro do PSD: "Não vou pedir licença para avançar"
    1:41

    País

    Luís Montenegro admite que se achar que é a pessoa ideal para a liderança do PSD, não vai pedir licença a ninguém para avançar. Em entrevista à SIC Notícias, o ex-líder parlamentar do PSD diz que está ao lado de Passos Coelho mas sublinha que é importante que haja uma clarificação na liderança do partido.

    Entrevista SIC Notícias

  • "Estes engenheiros não tiveram formação para exercer arquitetura"
    7:00

    País

    O Parlamento aprovou esta quarta-feira as propostas do PSD e do PAN para devolver aos engenheiros a possibilidade de assinarem projetos de arquitetura. Os aquitetos discordam da medida. José Manuel Pedreirinho, presidente da Ordem dos arquitetos, esteve na Edição da Noite da SIC Notícias para falar sobre o assunto.

    Entrevista SIC Notícias

  • "Foi uma grande honra ser deputado"
    1:23

    País

    Alberto Martins vai deixar a vida política, o socialista renunciou esta quarta-feira ao cargo de deputado, que ocupava há 30 anos, com algumas interrupções. Alberto Martins desempenhou funções de ministro da Reforma do Estado no segundo Governo de António Guterres, e de ministro da Justiça no segundo Executivo liderado por josé Sócrates. O socialista vai ser substituído por Hugo Carvalho.