sicnot

Perfil

Mundo

Governo da Tunísia revê para 17 número de turistas mortos em atentado

O primeiro-ministro da Tunísia, Habib Essid, afirmou esta quarta-feira que 17 turistas morreram no ataque terrorista contra o museu Bardo, em Tunes, depois de as autoridades terem inicialmente avançado com a morte de 20 estrangeiros.

Quatro italianos, um francês, dois colombianos, cinco japoneses, um polaco, um australiano e um espanhol (O Governo de Madrid confirmou dois) morreram no ataque, faltando identificar a nacionalidade de outras duas vítimas, explicou o chefe do executivo de Tunes.

Quatro italianos, um francês, dois colombianos, cinco japoneses, um polaco, um australiano e um espanhol (O Governo de Madrid confirmou dois) morreram no ataque, faltando identificar a nacionalidade de outras duas vítimas, explicou o chefe do executivo de Tunes.

Hassene Dridi / AP

Em declarações à televisão nacional, o primeiro-ministro tunisino afirmou que a "situação definitiva" é de 17 turistas mortos.

Quatro italianos, um francês, dois colombianos, cinco japoneses, um polaco, um australiano e um espanhol (O Governo de Madrid confirmou dois) morreram no ataque, faltando identificar a nacionalidade de outras duas vítimas, explicou o chefe do executivo de Tunes.

Dois tunisinos também morreram no ataque.

Dois homens com armas automáticas atacaram hoje o Museu Nacional em Tunes, acabando por ser abatidos pela polícia.

De acordo com o Ministério do Interior, o ataque provocou também 42 feridos. 

O primeiro-ministro tunisino, Habib Essid, informou entretanto que a polícia está à procura de dois ou três presumíveis cúmplices dos dois homens que perpetraram o ataque contra o Museu Nacional do Bardo. 
Lusa
  • Passos acusa Governo de "sacudir água do capote"

    País

    O líder do PSD, Pedro Passos Coelho, acusou este sábado o Governo de "sacudir a água do capote" para não assumir a responsabilidade pelo que está a ser decidido, usando uma política de comunicação que considerou ser um "embuste".

  • Quase 200 polícias solidários com agentes acusados
    2:29

    País

    Perto de 200 polícias manifestaram-se este sábado na sede da PSP em Alfragide, em solidariedade com os 18 agentes acusados no processo Cova da Moura. O Sindicato Nacional de Polícia associou-se ao protesto e diz existir um aproveitamento político do caso.

  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.