sicnot

Perfil

Mundo

Governo de Dilma Rousseff com o índice de popularidade mais baixo desde 1992

O Governo de Dilma Rousseff foi avaliado positivamente por apenas 13% dos entrevistados numa pesquisa de opinião, sendo o menor índice de aprovação a um Executivo desde setembro de 1992, divulgou esta quarta-feira a imprensa brasileira.

De acordo com o sítio eletrónico de notícias G1, a pesquisa de opinião realizada pelo instituto Datafolha revelou que o de eleitores que avaliaram o Governo de Dilma Rousseff (Partido dos Trabalhadores/PT) como "ruim" ou "péssimo" é de 62 por cento. (Arquivo)

De acordo com o sítio eletrónico de notícias G1, a pesquisa de opinião realizada pelo instituto Datafolha revelou que o de eleitores que avaliaram o Governo de Dilma Rousseff (Partido dos Trabalhadores/PT) como "ruim" ou "péssimo" é de 62 por cento. (Arquivo)

© Ueslei Marcelino / Reuters

De acordo com o sítio eletrónico de notícias G1, a pesquisa de opinião realizada pelo instituto Datafolha revelou que o de eleitores que avaliaram o Governo de Dilma Rousseff (Partido dos Trabalhadores/PT) como "ruim" ou "péssimo" é de 62 por cento.

O resultado da pesquisa de avaliação do Governo de Dilma feita neste mês é de "ótimo/bom" para 13 por cento dos entrevistados; "regular" para 24 por cento, e "ruim" e "péssimo" para 62% dos ouvidos pelo Datafolha. 

A pesquisa ouviu 2.842 pessoas em 172 municípios entre segunda-feira e terça-feira, nos dias posteriores às manifestações de domingo registadas em todo o país. 

A margem de erro do estudo de opinião é de 2 pontos porcentuais.

A pesquisa anterior divulgada pelo instituto, a 7 de fevereiro, apontava que Dilma tinha avaliação positiva de 23 por cento dos entrevistados. 

À época, outros 44 por cento disseram que o Governo da Presidente brasileira era "ruim" ou "péssimo".

De acordo com o Datafolha, esta é a mais alta taxa de reprovação de um Presidente da República desde setembro de 1992, à véspera do impeachment (destituição) do então Presidente Fernando Collor de Mello. 

Na ocasião, pouco antes de ser afastado do Palácio do Planalto, a reprovação de Collor era de 68 por cento, sublinhou o instituto de pesquisa.

A pesquisa do Datafolha mostra ainda que 9 por cento dos entrevistados consideram "bom" ou "ótimo" o desempenho de senadores e deputados no Congresso Nacional. Outros 50 por cento acreditam que a atuação dos parlamentares é "ruim" ou "péssima".
Lusa
  • Bombeiros ficaram de prevenção após intoxicação em Corroios
    1:16

    País

    17 alunos da escola EB 2+3 em Corroios, no Seixal, foram hospitalizados esta segunda-feira com sintomas de intoxicação alimentar. Os alunos, entre os 7 e os 14 anos, foram transportados 12 para o hospital Garcia de Orta, em Almada e cinco para o hospital do Barreiro. O transporte foi feito pelos bombeiros voluntários da Amora e do Seixal mantiveram uma equipa de socorro no local apenas por prevenção.

  • "Nada mais há a dizer" sobre a Caixa
    0:13

    Caso CGD

    O primeiro-ministro voltou esta segunda-feira a dizer que já não há nada para discutir, na polémica sobre a entrega de declarações de património dos gestores da CGD. Foram as declarações de António Costa, na Cidade da Praia, à margem da quarta cimeira bilateral entre Portugal e Cabo Verde.

  • Venda do Novo Banco terá que ser negociada em Bruxelas
    0:43

    Economia

    A venda do Novo Banco vai ter que ser negociada com Bruxelas, uma vez que o Lone Star planeia agora ficar com 65% da instituição, obrigando o Estado a manter uma posição no banco. O ministro das Finanças lembra que esta também era uma possibilidade mas salienta que o assunto está nas mãos do Banco de Portugal.

  • Trump e os jornalistas: uma relação (su)rreal
    2:08
  • Modelo obrigada a prometer que não volta a arriscar a vida numa sessão fotográfica
    1:46