sicnot

Perfil

Mundo

Mulher detida no Colorado por esventrar grávida e roubar feto

Uma mulher foi detida no Colorado, Estados Unidos, e acusada de assassínio depois de ter esventrado uma mulher grávida de sete meses e retirado o feto, informou esta quinta-feira a polícia norte-americana.

Na imagem, a autora do ataque, Dynel Lyne, de 34 anos.

Na imagem, a autora do ataque, Dynel Lyne, de 34 anos.

AP

A vítima, de 26 anos, que se encontrou com a autora do ataque em resposta a um anúncio para vender roupas de crianças, foi operada e sobreviveu, mas o feto morreu.

A autora do ataque, de 34 anos, transportou o bebé para o hospital, alegando ter tido um abordo espontâneo.

Depois de receber uma chamada da vítima, a polícia "entrou na casa e viu uma mulher espancada e esfaqueada no estômago", disse o chefe da polícia local, Jeff Satur.

"Mais tarde soubemos que a mulher estava grávida e que o bebé tinha sido levado. A vítima foi transportada para o hospital, onde foi submetida a uma cirurgia e está a recuperar", explicou o polícia.

"A autora do ataque foi localizada no mesmo hospital com um bebé morto. Suspeita e vítima não se conheciam antes do incidente", acrescentou o polícia.
Lusa
  • "Os governos são diferentes mas o povo é o mesmo"
    0:45

    Economia

    O Presidente da República atribui o resultado do défice do ano passado ao espírito de sacrifício do povo português. Num jantar em Coimbra para assinalar o Dia do Estudante, Marcelo Rebelo de Sousa considerou ainda que o valor do défice de 2016 é a prova de que com governos diferentes conseguem-se os mesmos objetivos.

  • Recuo na saúde é primeira derrota de peso para Donald Trump
    1:18

    Mundo

    O Presidente norte-americano sofreu esta sexta-feira uma derrota de peso. O líder da Câmara dos Representantes retirou a proposta do plano de saúde de Trump, que se preparava para um chumbo na câmara baixa do Congresso. Para já, mantém-se o Obamacare.

  • Pai do piloto da Germanwings defende inocência do filho

    Mundo

    O pai de Andreas Lubitz declarou esta sexta-feira que o filho não é o responsável pelo embate do avião da Germanwings contra um local montanhoso, que fez 150 mortos. O Ministério Público alemão concluiu em janeiro que o incidente em 2015 foi apenas da responsabilidade do piloto.