sicnot

Perfil

Mundo

Obama já telefonou a Netanyahu para o felicitar pela vitória eleitoral

O Presidente dos EUA, Barack Obama, telefonou hoje ao primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu, para o felicitar pela vitória nas eleições de terça-feira, chamada que se demorou dadas as tensões entre estes líderes.  

© Yuri Gripas / Reuters

"O Presidente sublinhou a importância que os EUA têm para a cooperação militar, as informações e a segurança de Israel, o que reflete a profunda e permanente colaboração entre ambos os países", sinalizou a Casa Branca, em comunicado. 

As relações entre Obama e Netanyahu foram abaladas pelas negociações entre os EUA e o Irão com vista a chegar a um acordo sobre o programa nuclear deste, o que é recusado pelo primeiro-ministro israelita, bem como pelas mudanças de posição de Netanyahu sobre a resolução do conflito do Médio Oriente, através da criação de dois Estados, um israelita e outro palestiniano. 

Sobre o Irão, Obama disse a Netanyahu que os EUA querem "um acordo global com o Irão" que impeça os dirigentes de Teerão de obter uma arma nuclear e que, ao mesmo tempo, "a natureza exclusivamente pacífica do seu programa" possa ser verificada de forma segura pela comunidade internacional.

Os EUA já manifestaram a sua preocupação depois das afirmações de Netanyahu anteriores à votação, realizada na terça-feira, em que garantiu que não permitiria a criação de um Estado palestiniano, quando as sondagens não lhe eram favoráveis. 

"Creio que qualquer pessoa que estabeleça hoje um Estado palestiniano e ceda terras, está a dar motivos para um ataque do Islão radical contra o Estado de Israel", afirmou na segunda-feira, véspera de eleições. 

Porém, em entrevista emitida hoje pela televisão norte-americana NBC, tornou a mudar de opinião. 

"Não mudei a minha política", disse. "Não quero uma solução de um só Estado. Quero uma solução de dois Estados sustentável, pacífica", adiantou. 










Lusa
  • Governo quer aumentar fiscalização a baixas fraudulentas
    1:10

    País

    O Governo quer criar uma bolsa de médicos para fiscalizar quem recebe o subsídio por doença. A intenção foi manifestada à TSF pela secretária de Estado da Segurança Social. Em 2016 foram detetados mais de 56 mil trabalhadores com baixa médica que afinal estavam aptos para trabalhar.

  • Novo motim em prisão brasileira do Rio Grande do Norte

    Mundo

    Um motim ocorreu esta segunda-feira de madrugada numa prisão do estado brasileiro de Rio Grande do Norte, sem fazer feridos ou mortos, depois de uma rebelião numa outra prisão do mesmo estado ter feito 26 mortos no fim de semana.

  • Cheias e derrocadas destroem várias casas no Peru
    0:42

    Mundo

    Um deslizamento de terras seguido de uma inundação destruiu várias casas no Peru. As imagens mostram o momento em que o deslizamento acontece e o caos que se gerou. O trânsito ficou cortado e as inundações que se seguiram obrigaram várias pessoas a abandonar as suas habitações.