sicnot

Perfil

Mundo

Obama já telefonou a Netanyahu para o felicitar pela vitória eleitoral

O Presidente dos EUA, Barack Obama, telefonou hoje ao primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu, para o felicitar pela vitória nas eleições de terça-feira, chamada que se demorou dadas as tensões entre estes líderes.  

© Yuri Gripas / Reuters

"O Presidente sublinhou a importância que os EUA têm para a cooperação militar, as informações e a segurança de Israel, o que reflete a profunda e permanente colaboração entre ambos os países", sinalizou a Casa Branca, em comunicado. 

As relações entre Obama e Netanyahu foram abaladas pelas negociações entre os EUA e o Irão com vista a chegar a um acordo sobre o programa nuclear deste, o que é recusado pelo primeiro-ministro israelita, bem como pelas mudanças de posição de Netanyahu sobre a resolução do conflito do Médio Oriente, através da criação de dois Estados, um israelita e outro palestiniano. 

Sobre o Irão, Obama disse a Netanyahu que os EUA querem "um acordo global com o Irão" que impeça os dirigentes de Teerão de obter uma arma nuclear e que, ao mesmo tempo, "a natureza exclusivamente pacífica do seu programa" possa ser verificada de forma segura pela comunidade internacional.

Os EUA já manifestaram a sua preocupação depois das afirmações de Netanyahu anteriores à votação, realizada na terça-feira, em que garantiu que não permitiria a criação de um Estado palestiniano, quando as sondagens não lhe eram favoráveis. 

"Creio que qualquer pessoa que estabeleça hoje um Estado palestiniano e ceda terras, está a dar motivos para um ataque do Islão radical contra o Estado de Israel", afirmou na segunda-feira, véspera de eleições. 

Porém, em entrevista emitida hoje pela televisão norte-americana NBC, tornou a mudar de opinião. 

"Não mudei a minha política", disse. "Não quero uma solução de um só Estado. Quero uma solução de dois Estados sustentável, pacífica", adiantou. 










Lusa
  • O bombeiro herói que recebe 267 euros de pensão
    2:36

    País

    O homem que ficou conhecido como o "bombeiro herói" foi distinguido este domingo, em Évora. Rui Rosinha, de 40 anos, ficou gravemente ferido num acidente durante o combate aos incêndios de Pedrógão Grande. Hoje, tem uma incapacidade de 85% e estará a receber do Estado uma pensão de apenas 267 euros.

  • As histórias e os tesouros desconhecidos das catedrais e mosteiros do norte
    5:23