sicnot

Perfil

Mundo

Cientistas encontram na Austrália crateras de impacto de asteroide

Um grupo de cientistas encontrou no centro da Austrália o que se acredita que poderá ser a maior zona formada pelo impacto de um asteroide que se partiu em dois.

www.abc.net.au

www.abc.net.au

A equipa liderada por Andrew Glikson, da Universidade Nacional Australiana, descobriu duas antigas crateras no centro do país que possuem materiais idênticos e que se acredita terem sido formados pelo impacto de um meteorito que se partiu em dois.

"Parecem duas grandes estruturas, cada uma com cerca de 200 quilómetros", o que tornaria a zona a de impacto do maior meteorito que atingiu a terra (não percebo esta parte), explicou Andrew Glikson em declarações à cadeia de televisão ABC.

As crateras, que tinham desaparecido com o passar do tempo, foram reveladas pela equipa científica através da perfuração geotérmica realizada nos estados da Austrália do Sul, Queensland e Territórios do Norte.

"O impacto deste meteorito poderia ter causado o maior evento de extinção em massa, mas não sei quando foi o impacto e estamos a trabalhar nesse sentido", acrescentou o mesmo responsável ao salientar ainda que parte do interesse sobre o fenómeno é perceber se está relacionado com a extinção dos dinossauros.

  • Leão de Ouro de Souto de Moura faz "muito bem à alma" dos portugueses
    1:53
  • "Sonho com um futuro melhor", o desejo de um jovem sírio em Portugal
    2:12

    País

    Mais de 50 jovens sírios chegaram esta madrugada a Lisboa, para iniciarem o novo ano letivo, em Portugal. Sonham com um futuro melhor. Sonham com uma educação melhor. Os 54 estudantes vieram ao abrigo do programa lançado pelo antigo Presidente da República, Jorge Sampaio, que nos últimos anos já deu uma nova oportunidade a cerca de 200 alunos.

  • Na linha do triunfo
    16:49
  • Chamas do incêndio no Europa Park na Alemanha atingiram os 15 metros de altura
    0:57