sicnot

Perfil

Mundo

Mais de 1.950 mortos devido aos ataques contra Estado Islâmico

Pelo menos 1.953 pessoas morreram e centenas de outras ficaram feridas em seis meses de bombardeamentos da coligação internacional liderada pelos Estados Unidos contra os 'jihadistas' na Síria, revelou hoje o Observatório Sírio dos Direitos Humanos.

Reuters

Entre as vítimas mortais, pelo menos 66 eram civis, incluindo 10 menores e seis mulheres, que perderam a vida nos ataques contra instalações petrolíferas em zonas sob controlo do grupo radical Estado Islâmico nas províncias de Al Hasaka, Deir al Zur, Al Raqa e Alepo, no norte do país.

Nas contas do Observatório, 1.796 mortos eram elementos do Estado Islâmico e outros 90 militantes da Frente de Nusra, filial síria da Al-Qaida.

O Observatório não descarta, contudo, um número de mortos mais elevado devido à dificuldade em aceder a áreas controladas pelo Estado Islâmico e ao secretismo que este grupo mantém sobre as baixas que sofre
  • Seca extrema agrava-se no interior alentejano, produção de trigo pode cair 40%
    6:22

    País

    A falta de chuva está a provocar prejuízos na agricultura, em especial no setor dos cereais, como o trigo que, este ano, deverá registar uma quebra de 40% na produção. O repórter Luís Godinho convidou o agricultor e professor de Ciências Agrárias na Universidade de Évora, Ricardo Freixial, para explicar os prejuízos que a seca está a provocar nas culturas e a sustentabilidade da agricultura portuguesa perante as alterações climáticas.