sicnot

Perfil

Mundo

Mais de 1.950 mortos devido aos ataques contra Estado Islâmico

Pelo menos 1.953 pessoas morreram e centenas de outras ficaram feridas em seis meses de bombardeamentos da coligação internacional liderada pelos Estados Unidos contra os 'jihadistas' na Síria, revelou hoje o Observatório Sírio dos Direitos Humanos.

Reuters

Entre as vítimas mortais, pelo menos 66 eram civis, incluindo 10 menores e seis mulheres, que perderam a vida nos ataques contra instalações petrolíferas em zonas sob controlo do grupo radical Estado Islâmico nas províncias de Al Hasaka, Deir al Zur, Al Raqa e Alepo, no norte do país.

Nas contas do Observatório, 1.796 mortos eram elementos do Estado Islâmico e outros 90 militantes da Frente de Nusra, filial síria da Al-Qaida.

O Observatório não descarta, contudo, um número de mortos mais elevado devido à dificuldade em aceder a áreas controladas pelo Estado Islâmico e ao secretismo que este grupo mantém sobre as baixas que sofre
  • Os 36 golos dos 16 avos da Liga Europa

    Liga Europa

    A jornada europeia ficou marcada, no panorama das equipas portuguesas, pelo apuramento do Sporting e pela eliminação do Sporting de Braga. Os leões passam assim a ser o único clube luso em prova na Liga Europa. Nos oitavos de final, o emblema de Alvalade pode encontrar adversários como o Arsenal, o Atlético de Madrid ou o AC Milan. O sorteio realiza-se esta sexta-feira, ao meio-dia. Aqui, veja ou reveja todos os golos da segunda mão dos 16 avos de final da Liga Europa.

  • Coreia do Norte acusa Guterres de ser subordinado dos EUA

    Mundo

    A Coreia do Norte criticou esta quinta-feira o secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, por apoiar sanções para pressionar o país a entrar em negociações com os Estados Unidos sobre a desnuclearização, referindo que tem atuado como um subordinado.

  • Não dá mais, Brasil!
    18:00
  • Escolas da Portela e Moscavide degradadas e com amianto
    3:00
  • O estranho caso do mergulhador Alejandro Ramos

    Mundo

    O mergulhador Alejandro Ramos tornou-se num caso de investigação do Centro Médico Naval do Peru, depois do seu corpo ter começado a inchar sem qualquer explicação aparente. Isto aconteceu há quatro anos, minutos depois de ter emergido da água, onde tinha estado a trabalhar durante muitas horas.

    SIC