sicnot

Perfil

Mundo

Kerry reafirma que Al-Assad é ditador brutal sem legitimidade para dirigir Síria

O secretário de Estado norte-americano reafirmou hoje que o Presidente sírio é "um ditador brutal, sem legitimidade para dirigir" o país, dez dias depois de causar polémica ao declarar que "era preciso negociar" com Bashar al-Assad. 

© Yuri Gripas / Reuters

Antes de voar para a Suíça, com a esperança de concluir um acordo sobre o programa nuclear iraniano, John Kerry e a sua adjunta para o Médio Oriente, Anne Patterson, reuniram-se hoje com o antigo dirigente do Conselho Nacional Sírio, Moaz Al-Khatib, que dirigiu esta instância da oposição síria moderada de novembro de 2012 a abril de 2013. 

Os três dirigentes discutiram "os meios de fazer avançar uma solução política para a crise na Síria", segundo um comunicado do Departamento de Estado. 

"O secretário de Estado reafirmou o nosso compromisso em trabalhar por todas as vias diplomáticas para uma transição política fundada nos princípios de Genebra", ainda segundo o texto. 

No verão de 2012, as potências internacionais, designadamente EUA e Federação Russa, redigiram um documento, intitulado "Genebra 1", em que se apelava à constituição de um governo de transição na Síria, dotado de plenos poderes, mas sem esclarecer o destino do Presidente Al-Assad.

Uma conferência de paz, intitulada "Genebra 2", reuniu-se depois, em janeiro de 2014, com representantes do regime de Damasco e da oposição moderada, mas não produziu qualquer resultado. 

Os EUA defenderam sempre que a transição deveria fazer-se com "elementos" do regime sírio, mas sem Assad, que deveria "partir". 

Porém, nos últimos meses, Washington reduziu as suas críticas ao Presidente sírio.

Mas agora Kerry sublinhou, perante o opositor sírio Al-Khatib, que "Bashar al-Assad é um ditador brutal, sem qualquer legitimidade para governar a Síria". 

Em 15 de março, durante uma entrevista à televisão CBS, o chefe da diplomacia norte-americana declarou que, "no final, vai ser preciso negociar".

E quando esta cadeia de televisão norte-americana lhe perguntou se estava disposto a falar com o Presidente sírio, Kerry respondeu: "Se ele estiver pronto para fazer negociações sérias sobre a aplicação de Genebra 1, claro". 

Na ocasião, os governos de Paris e Londres demarcaram-se das afirmações de Kerry e o Departamento de Estado minimizou a dimensão da afirmação, desmentindo qualquer mudança de posição diplomática de Washington a respeito de Al-Assad.

Lusa
  • Militares tentam acabar com guerra entre traficantes na Rocinha, Rio de Janeiro
    3:07

    Mundo

    As últimas horas têm sido de tensão no Rio de Janeiro depois dos tiroteios que começaram desde que uma das principais favelas da cidade foi ocupada por militares na sexta-feira. As forças federais foram acionadas para auxiliarem a polícia, que há vários dias tenta acabar com a guerra entre fações de traficantes de droga.

  • Irão lança míssil de médio alcance
    1:13

    Mundo

    Três dias depois do discurso hostil de Donald Trump nas Nações Unidas, o Irão testou um novo míssil de médio alcance que atingiu uma altura de dois mil quilómetros. Teerão diz que o teste não viola o acordo nuclear.

  • Trump renovou as ameaças à Coreia do Norte
    1:30
  • Guterres apela à Coreia do Norte para cumprir resoluções

    Mundo

    O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, apelou este sábado ao ministro do Exterior da Coreia do Norte, Ri Yong Ho, para o cumprimento das resoluções que o Conselho de Segurança impôs ao país em resposta à sua escalada armada.

  • Atrás das Câmaras em Pedrógão Grande
    3:37
    Atrás das Câmaras

    Atrás das Câmaras

    DIARIAMENTE NA SIC E SIC NOTÍCIAS

    A carrinha do "Atrás das Câmaras" continua pelo país a mostrar aquilo que alguns políticos ignoram. Este sábado a equipa da SIC esteve em Pedrógão Grande, 99 dias após o incêndio que fez 64 mortos e 200 feridos.

  • Morreu Charles Bradley, uma das lendas do soul

    Cultura

    O cantor Charles Bradley morreu este sábado aos 68 anos. O músico norte-americano foi diagnosticado com cancro no ano passado. A notícia da morte foi confirmada na página oficial do cantor no Facebook.