sicnot

Perfil

Mundo

Supremo italiano decide sexta-feira caso de Amanda Knox

Galeria de fotos

O Supremo Tribunal italiano adiou para sexta-feira a decisão de manter ou não a condenação de Amanda Knox a 28 anos e meio por homicídio. 

Amanda Knox antes de ser entrevistada no programa "Today" da NBC News em stembro de 2013.

Amanda Knox antes de ser entrevistada no programa "Today" da NBC News em stembro de 2013.

© Brendan McDermid / Reuters

Os irmãos de Meredith Kercher: Lyle e Stephanie aquando da leitura da sentença que condenou Amanda a 28 anos e meio de prisão em janeiro de 2014 que veio confirmar a condenação de primeira instância.

Os irmãos de Meredith Kercher: Lyle e Stephanie aquando da leitura da sentença que condenou Amanda a 28 anos e meio de prisão em janeiro de 2014 que veio confirmar a condenação de primeira instância.

© Giampiero Sposito / Reuters

Amanda Knox emociona-se durante uma entrevista na ABC, "Good Morning America" em Nova Iorque, em janeiro de 2014.

Amanda Knox emociona-se durante uma entrevista na ABC, "Good Morning America" em Nova Iorque, em janeiro de 2014.

© Andrew Kelly / Reuters

Stephanie Kercher e Lyle Kercher irmãos da vítima durante a conferência de imprensa, após a leitura da sentença que confirmou a pena de 28 anos e meio de prisão para Amanda Knox.

Stephanie Kercher e Lyle Kercher irmãos da vítima durante a conferência de imprensa, após a leitura da sentença que confirmou a pena de 28 anos e meio de prisão para Amanda Knox.

© Giampiero Sposito / Reuters

A casa onde ocorreu o crime e onde viviam Amanda Knox e a Meredith Kercher em Perúgia, Itália.

A casa onde ocorreu o crime e onde viviam Amanda Knox e a Meredith Kercher em Perúgia, Itália.

© Daniele la Monaca / Reuters

Raffaele Sollecito, à época, namorado de Amanda Knox, condenado pelo assassinato de Meredith Kercher, a 25 anos de prisão.

Raffaele Sollecito, à época, namorado de Amanda Knox, condenado pelo assassinato de Meredith Kercher, a 25 anos de prisão.

© Daniele la Monaca / Reuters

Amanda Knox em 2009 durante o primeiro julgamento, em 2009.

Amanda Knox em 2009 durante o primeiro julgamento, em 2009.

© Alessandro Bianchi / Reuters

Amanda durante a repetição do julgamento em 2011, em Perúgia, Itália.

Amanda durante a repetição do julgamento em 2011, em Perúgia, Itália.

© Alessia Pierdomenico / Reuter

Raffaele Sollecito a ser levado pela polícia para uma audiência no Tribunal em Perúgia em 2008.

Raffaele Sollecito a ser levado pela polícia para uma audiência no Tribunal em Perúgia em 2008.

© Daniele la Monaca / Reuters

Amanda Knox durante uma sessão do julgamento em julho de 2011.

Amanda Knox durante uma sessão do julgamento em julho de 2011.

© Alessandro Bianchi / Reuters

Amanda Knox surpreendida, durante uma sessão do julgamento, em que são apresentadas, pela acusação, novas provas incriminatórias em 2011.

Amanda Knox surpreendida, durante uma sessão do julgamento, em que são apresentadas, pela acusação, novas provas incriminatórias em 2011.

© Alessandro Bianchi / Reuters

Em 2011, Amanda Knox chega ao tribunal escoltada por polícias, para assistir a mais uma sessão do julgamento em que é acusada de matar a colega de apartamento Meredith Kercher.

Em 2011, Amanda Knox chega ao tribunal escoltada por polícias, para assistir a mais uma sessão do julgamento em que é acusada de matar a colega de apartamento Meredith Kercher.

© Giorgio Benvenuti / Reuters

Amanda Knox chega a tribunal, em Perúgia, em 2011.

Amanda Knox chega a tribunal, em Perúgia, em 2011.

© Alessandro Bianchi / Reuters

© Anthony Bolante / Reuters

O presidente do tribunal, Gennaro Marasca,  anunciou, esta tarde, que vai adiar a decisão, sobre se mantém a condenação de Amanda Knox,  para sexta-feira.

Esta manhã, os advogados de defesa de Amanda e do antigo namorado Raffaele Sollecito, deslocaram-se ao Supremo Tribunal de Justiça italiano para ouvirem a decisão.

Já Amanda, continua em Seatle, nos EUA, desde 2011. Quando regressou garantiu que não voltaria a Itália voluntariamente. 

Foi condenada 28 anos e meio de prisão pela morte de Meredith Kercher, a amiga britânica com quem partilhava apartamento, em Perúgia.  Amanda e o ex-namorado italiano, Raffaele Sollecito, que também foi condenado, a 25 anos de prisão.

O crime ocorreu em 2007 e chocou o mundo. O corpo de Mertedith foi encontrado com a garganta cortada e mais 47 facadas na cidade de Perúgia, Itália.

Amanda Knox, Raffaele Sollecito e Patrick Lumumba Diya, de 38 anos, foram apontados como principais suspeitos, e detidos, dias depois dos crime. Dyia, natural do Zaire, era o proprietário de um bar onde a norte-americana trabalhava na altura e quem Amanda responsabilizou, de imediato, pelo crime.

Mas Lumumba foi, entretanto, libertado porque as provas forenses apontavam para Rudy Guede, um jovem natural da Costa do Marfim e criado em Perúgia.

Em dezembro de 2009, Amanda é condenada, numa primeira instância, a 26 anos de prisão, Raffaele a 25 e Rudy a 30. Meses depois, a defesa de Amanda e Raffaele recorrem da decisão da primeira instância e pedem a reabertura do processo.

O Tribunal de Apelação de Perugia absolve Amanda e Raffaele por não haver "provas concludentes" e os  dois são libertados. É nesta altura que Amanda regressa ao Estados Unidos.

Em março de 2012, o  Supremo Tribunal italiano decide de Amanda Knox e Raffale Sollecito devem ser novamente julgados. Desta vez sem a presença da norte-americana.

Amanda vê assim a pena agravada, depois do tribunal de Florença a ter condenado a 28 anos e seis meses de prião e o antigo namorados a 25 anos.

A família da norte-americana anuncia que vai recorrer da decisão judicial e fez chegar ao Supremo mais um recurso. 

O Supremo Tribunal de Justiça italiano pode confirmar a condenação por homícidio de Amanda. Se assim for, está aberto o caminho para mais uma batalha de extradição entre os Estados Unidos e Itália.













  • Sismo de magnitude 4,0 provoca um morto em Nápoles

    Mundo

    Um sismo de magnitude 4,0 na escala de Richter atingiu esta segunda-feira a ilha de Ísquia no golfo de Nápoles, no mar Tirreno, no sul de Itália. De acordo com o jornal La Stampa uma mulher terá morrido e dois feridos estarão em perigo de vida.

  • A easyJet não está a oferecer bilhetes no Facebook. Cuidado, é uma burla

    País

    Se esteve no Facebook nos últimos dias, provavelmente reparou na oferta de dois bilhetes para uma viagem da easyJet, a propósito do 22.º aniversário da companhia aérea britânica. Uma viagem para dois tinha tudo para correr bem, não fosse um esquema de burla, criado para obter os dados pessoais dos utilizadores que partilham a publicação na rede social.

  • Brasileiros procuram Portugal
    3:59

    País

    Viver em Portugal é hoje em dia um grande sonho da classe média brasileira. De acordo com o Ministério dos Negócios Estrangeiros, só em 2016, o número de vistos de residência aumentarem em mais de 30%. A língua, a segurança e a qualidade de vida são as razões apontadas para a mudança. Todos os dias, no consulado português no Rio de Janeiro, para a obtenção de vistos.

  • Big Ben em silêncio durante quatro anos
    2:15

    Mundo

    Esta segunda-feira ficou marcada pelas últimas badaladas dos famosos sinos do Big Ben, em Londres, no Reino Unido. A torre, na qual está instalada o relógio mais famoso do mundo, vai entrar em obras e os sinos só vão voltar a tocar em 2021.

  • Garrafa lançada ao mar em Rhodes recebe resposta de Gaza
    1:43

    Mundo

    A história parece de filme, mas aconteceu numa praia de Gaza. Um casal britânico lançou uma garrafa com uma mensagem ao mar, em julho, na ilha grega de Rhodes. A garrafa foi encontrada por um pescador numa praia de Gaza, que aproveitou para enviar a resposta, na qual falou sobre as restrições impostas por Israel.