sicnot

Perfil

Mundo

2014 foi o ano mais sangrento na Faixa de Gaza desde 1967

O conflito entre israelitas e palestinianos registou em 2014 o ano mais sangrento da guerra com mais de duas mil mortes, entre as quais de 1.500 civis, indicam dados das Nações Unidas. 

(Reuters/ Arquivo)

(Reuters/ Arquivo)

© Suhaib Salem / Reuters

As Nações Unidas apelam a ambos os lados do conflito para procurarem travar a violência e salientam a necessidade de todos cumprirem o seu papel e "obrigados legais" em combate, nomeadamente na proteção dos civis.

 

A ONU considera que os civis "continuam a ser objeto de ameaças à sua vida, integridade física e liberdade" com 2014 a ser testemunha "do maior número de mortos desde 1967".

 

Nas contas das Nações Unidas, o ano passado morreram na Faixa de Gaz 1.500 civis - entre um balanço de 2.000 mortos -, mais de 11.000 ficaram feridos e 100.000 foram deslocados.

 

Entre as vítimas mortais encontram-se mais de 550 crianças.


Lusa

  • Montenegro nunca será candidato contra Passos
    0:50
  • Dijsselbloem não comenta hipótese de ser substituído por Mário Centeno
    2:41

    Mundo

    Jeroen Dijsselbloem diz que cabe ao Governo português avançar com o nome de Mário Centeno para a presidência do Eurogrupo, mas não comenta a sondagem que foi feita ao ministro das Finanças português. Ouvido esta quinta-feira no Parlamento Europeu, o Presidente do Eurogrupo esteve no centro das críticas e reafirmou que não se demite.