sicnot

Perfil

Mundo

ONU denuncia "raptos sistemáticos" praticados pela Coreia do Norte

O conselho dos Direitos Humanos da ONU adotou hoje uma resolução que condena os "raptos sistemáticos" praticados pela Coreia do Norte e exigiu "resultados concretos" nas investigações de Pyongyang sobre a questão.

John Minchillo

A resolução, sob os auspícios do Japão, UE e Estados Unidos, foi aprovada com 27 votos a favor, seis contra, e 14 abstenções. 

O objetivo é sublinhar "a importância da questão dos raptos internacionais e do regresso imediato de todas as pessoas raptadas" e denunciar "os raptos sistemáticos, a recusa de repatriamento e o desaparecimento forçado de pessoas, cidadãos de outros países, o que se inscreve no âmbito de uma política de Estado de grande escala". 

De acordo com um relatório publicado em fevereiro do ano passado por uma comissão de inquérito da ONU, mais de 200 mil estrangeiros, na maioria sul-coreanos capturados durante a guerra de 1950-53, japoneses e chineses, foram raptados pelo regime norte-coreano. 

Ao todo, cidadãos de pelo menos 12 países foram alvos desta política. 

A resolução exige "resultados concretos e positivos das investigações" realizadas pela Coreia do Norte sobre o rapto de japoneses. 

No final de maio último, a Coreia do Norte aceitou reabrir uma investigação sobre os japoneses raptados durante a Guerra Fria, em troca do levantamento de sanções aplicadas por Tóquio, mas ainda não apresentou as informações pedidas pelo governo japonês. 

Tóquio nunca quis encerrar o caso dos japoneses raptados nos anos 1970-1980 para formar espiões norte-coreanos em língua japonesa e nos costumes do país. 

O Japão fez da resolução destes casos uma condição indispensável para normalizar o relacionamento oficial com a Coreia do Norte, país com o qual não tem relações diplomáticas. 

A resolução adotada condena também "as violações persistentes, sistemáticas, generalizadas e flagrantes dos direitos humanos" pelo regime totalitário norte-coreano, pedindo aos dirigentes "que reconheçam" estas violações e "tomem medidas imediatas" para travar estas violações. 

Em março passado, uma comissão de inquérito da ONU comparou os crimes de Pyongyang ao dos regime nazi, do apartheid e dos khmers vermelhos, e acusou o o governo norte-coreano de crimes contra a humanidade a grande escala. 

Centenas de milhares de presos políticos morreram em campos durante os últimos 50 anos, de acordo com os investigadores da ONU. 

Lusa

  • BCE autoriza CGD a avançar com recapitalização

    Caso CGD

    A Caixa Geral de Depósitos informou esta sexta-feira que vai prosseguir com as operações da primeira fase do aumento de capital, depois de ter obtido autorização para isso junto do Banco Central Europeu (BCE) e do Banco de Portugal.

  • Costa confiante no crescimento da economia e das exportações
    1:09

    Economia

    O primeiro-ministro manifestou confiança no crescimento da economia e das exportações. À margem da cerimónia dos 25 anos da Auto Europa em Portugal, António Costa deu vários exemplos de investimento estrangeiro, feito nas últimas semanas no país, e disse que os dados económicos recentes são positivos.

  • O anúncio de natal que está a emocionar o mundo
    1:47
  • Turista italiano assassinado em favela do Rio de Janeiro
    1:01

    Mundo

    Um turista italiano de 52 anos foi assassinado numa favela do Rio de Janeiro, no Brasil, enquanto viajava com um amigo. Após várias horas com o gangue autor do crime, o amigo que se encontrava com a vítima acabou por ser libertado.