sicnot

Perfil

Mundo

Líderes mundiais juntam-se a marcha contra o terrorismo na Tunísia

Vários líderes mundiais juntaram-se este domingo às dezenas de milhar de pessoas que marcharam contra o terrorismo, na Tunísia. 

A demonstração contou com a presença de vários líderes internacionais, como os presidentes de França, Itália, Bélgica, Líbia, Argélia, Polónia e da Autoridade Palestiniana.

A demonstração contou com a presença de vários líderes internacionais, como os presidentes de França, Itália, Bélgica, Líbia, Argélia, Polónia e da Autoridade Palestiniana.

© POOL New / Reuters

Os manifestantes encheram uma das principais avenidas de Tunes. A demonstração contou com a presença de vários líderes internacionais, como os presidentes de França, Itália, Bélgica, Líbia, Argélia, Polónia e da Autoridade Palestiniana. 

Portugal esteve representado pelo secretário de Estado dos Assuntos Europeus, Bruno Maçães, e pelo vice-presidente da Assembleia da República, Miranda Calha.

A marcha realizou-se uma semana depois do ataque ao museu do Bardo, que provocou 23 mortos, e um dia depois das forças tunisinas terem morto pelo menos 7 jihadistas. Entre eles estava Abou Sakhr, líder da célula tunisina do Estado Islâmico, movimento que reivindicou o atentado no museu.
  • Os números das eleições francesas
    0:50

    Eleições França 2017

    Os resultados definitivos mostram que Emmanuel Macron obteve 24% dos votos, na primeira volta das eleições francesas. Ficou quase três pontos à frente de Marine Le Pen, que conseguiu 21,3%. Os números oficiais, publicados pelo Ministério do Interior, dão ainda conta da taxa de abstenção: 22,2%, um ligeiro aumento face à primeira volta das presidenciais de 2012.

  • Estarão os portugueses a consumir vitamina D em excesso? 
    6:44
  • Investigadores criam nanovacina contra diferentes cancros

    Mundo

    Investigadores da Universidade do Texas, nos Estados Unidos, desenvolveram uma nanovacina (vacina administrada através de partículas microscópicas) contra diferentes cancros, como o da pele, do cólon e do reto, numa experiência com ratos, revela um estudo publicado esta segunda-feira.