sicnot

Perfil

Mundo

Morto líder do principal grupo jihadista tunisino

O líder do principal grupo 'jihadista' tunisino, Abu Sakhr Lokmane, acusado de ter executado o ataque de 18 de março contra o Museu do Bardo, foi morto no sábado por forças tunisinas, anunciou o primeiro-ministro da Tunísia, Habib Essid.

Abu Sakhr foi morto numa operação das forças especiais na região de Gafsa (centro-oeste), na qual foram mortos ao todo nove 'jihadistas' armados. (Arquivo)

Abu Sakhr foi morto numa operação das forças especiais na região de Gafsa (centro-oeste), na qual foram mortos ao todo nove 'jihadistas' armados. (Arquivo)

© Zoubeir Souissi / Reuters

"As forças tunisinas mataram ontem à noite (sábado) os elementos mais importantes da Brigada Okba Ibn Nafaa, liderada por Lokmane Abu Sakhr", disse o primeiro-ministro aos jornalistas, classificando esta operação como "muito importante na campanha [da Tunísia] contra o terrorismo".

Este sucesso reclamado pelas autoridades da Tunísia ocorre no dia de uma grande marcha "contra o terrorismo", que está a juntar hoje em Tunes dezenas de milhares de pessoas e funcionários estrangeiros de alto nível.

Abu Sakhr foi morto numa operação das forças especiais na região de Gafsa (centro-oeste), na qual foram mortos ao todo nove 'jihadistas' armados.

Os homens pertenciam alegadamente à brigada Okba Ibn Nafaa, ligada à Al-Qaida no Magrebe Islâmico (AQIM), que as autoridades acreditam estar por trás do ataque de 18 de março ao Museu do Bardo, que vitimou 21 turistas e um polícia, apesar do mesmo ter sido reivindicado pela organização 'jihadista' rival do Estado Islâmico.

A brigada Okba Ibn Nafaa integra, de acordo com as autoridades, dezenas de homens, entre os quais estrangeiros, especialmente mais argelinos do que tunisinos, e será responsável pela morte de sessenta polícias e militares desde dezembro de 2012.

Este grupo reivindicou o ataque do ano passado contra a casa do ministro do Interior de então, em Kasserine, cidade vizinha de Monte Chaambi, onde se encontra o principal grupo 'jihadista' na Tunísia.
Lusa
  • Sismo de magnitude 4,0 provoca um morto em Nápoles

    Mundo

    Um sismo de magnitude 4,0 na escala de Richter atingiu esta segunda-feira a ilha de Ísquia no golfo de Nápoles, no mar Tirreno, no sul de Itália. De acordo com o jornal La Stampa uma mulher terá morrido e dois feridos estarão em perigo de vida.

  • A easyJet não está a oferecer bilhetes no Facebook. Cuidado, é uma burla

    País

    Se esteve no Facebook nos últimos dias, provavelmente reparou na oferta de dois bilhetes para uma viagem da easyJet, a propósito do 22.º aniversário da companhia aérea britânica. Uma viagem para dois tinha tudo para correr bem, não fosse um esquema de burla, criado para obter os dados pessoais dos utilizadores que partilham a publicação na rede social.

  • Brasileiros procuram Portugal
    3:59

    País

    Viver em Portugal é hoje em dia um grande sonho da classe média brasileira. De acordo com o Ministério dos Negócios Estrangeiros, só em 2016, o número de vistos de residência aumentarem em mais de 30%. A língua, a segurança e a qualidade de vida são as razões apontadas para a mudança. Todos os dias, no consulado português no Rio de Janeiro, para a obtenção de vistos.

  • Big Ben em silêncio durante quatro anos
    2:15

    Mundo

    Esta segunda-feira ficou marcada pelas últimas badaladas dos famosos sinos do Big Ben, em Londres, no Reino Unido. A torre, na qual está instalada o relógio mais famoso do mundo, vai entrar em obras e os sinos só vão voltar a tocar em 2021.

  • Garrafa lançada ao mar em Rhodes recebe resposta de Gaza
    1:43

    Mundo

    A história parece de filme, mas aconteceu numa praia de Gaza. Um casal britânico lançou uma garrafa com uma mensagem ao mar, em julho, na ilha grega de Rhodes. A garrafa foi encontrada por um pescador numa praia de Gaza, que aproveitou para enviar a resposta, na qual falou sobre as restrições impostas por Israel.