sicnot

Perfil

Mundo

Uigure condenado na China a seis anos de prisão por deixar crescer barba

galeria de fotos

 Um tribunal da região muçulmana de Xinjiang, no leste da China, condenou um homem a seis anos de prisão por "criar perturbações" ao "deixar crescer a barba", prática desencorajada pelas autoridades locais, divulga hoje um jornal oficial.

As autoridades região muçulmana de Xinjiang, no leste da China, conduzem há mais de um ano uma campanha contra o uso de barba pelos homens e de lenços pelas mulheres, associando essas práticas a "ideias extremistas".

As autoridades região muçulmana de Xinjiang, no leste da China, conduzem há mais de um ano uma campanha contra o uso de barba pelos homens e de lenços pelas mulheres, associando essas práticas a "ideias extremistas".

Ng Han Guan

As autoridades região muçulmana de Xinjiang, no leste da China, conduzem há mais de um ano uma campanha contra o uso de barba pelos homens e de lenços pelas mulheres, associando essas práticas a "ideias extremistas".

As autoridades região muçulmana de Xinjiang, no leste da China, conduzem há mais de um ano uma campanha contra o uso de barba pelos homens e de lenços pelas mulheres, associando essas práticas a "ideias extremistas".

Elizabeth Dalziel

As autoridades região muçulmana de Xinjiang, no leste da China, conduzem há mais de um ano uma campanha contra o uso de barba pelos homens e de lenços pelas mulheres, associando essas práticas a "ideias extremistas".

As autoridades região muçulmana de Xinjiang, no leste da China, conduzem há mais de um ano uma campanha contra o uso de barba pelos homens e de lenços pelas mulheres, associando essas práticas a "ideias extremistas".

Elizabeth Dalziel

As autoridades região muçulmana de Xinjiang, no leste da China, conduzem há mais de um ano uma campanha contra o uso de barba pelos homens e de lenços pelas mulheres, associando essas práticas a "ideias extremistas".

As autoridades região muçulmana de Xinjiang, no leste da China, conduzem há mais de um ano uma campanha contra o uso de barba pelos homens e de lenços pelas mulheres, associando essas práticas a "ideias extremistas".

Ng Han Guan

As autoridades região muçulmana de Xinjiang, no leste da China, conduzem há mais de um ano uma campanha contra o uso de barba pelos homens e de lenços pelas mulheres, associando essas práticas a "ideias extremistas".

As autoridades região muçulmana de Xinjiang, no leste da China, conduzem há mais de um ano uma campanha contra o uso de barba pelos homens e de lenços pelas mulheres, associando essas práticas a "ideias extremistas".

Ng Han Guan


De acordo com o jornal diário, um tribunal de Kashgar anunciou hoje ter condenado um morador da cidade, de 38 anos, a seis anos de prisão, e a sua esposa a dois anos de prisão.


Segundo o jornal, o primeiro "tinha começado a deixar crescer a barba desde 2010", enquanto a segunda "usava um véu a tapar a cara e uma burca".


O casal acabou por ser condenado por "instigar problemas e causar tumultos", motivos normalmente utilizados pelo tribunal chinês, que ainda funciona sob o estrito controlo do poder político.


As autoridades provinciais de Xinjiang conduzem há mais de um ano uma grande campanha contra o uso de barba pelos homens e de lenços pelas mulheres, associando essas práticas a "ideias extremistas".


Sob o tema "Objetivo Beleza", esta campanha incentiva particularmente as mulheres a andar com a cabeça descoberta e a abandonar a prática generalizada do véu entre os Uigures, os muçulmanos turcos que constituem o principal grupo étnico em Xinjiang.


O casal Kashgar foi "repreendido várias vezes" antes de ser preso e processado, conta o jornal, citando autoridades locais.


Questionadas pelo jornal, as autoridades judiciais de Kashgar asseguraram que processaram e condenaram já um grupo de infratores dos regulamentos contra o uso de barba, véu e burca, desde o início do ano.


A agência de notícias France Presse tentou contactar as autoridades de Kashgar, mas estas não estavam disponíveis.

Lusa


  • SIC faz-se à estrada para ouvir eleitores
    2:13
  • Furacão Maria ameaça Ilhas Virgens e Porto Rico

    Mundo

    O furacão Maria "potencialmente catastrófico" está a ameaçar as Ilhas Virgens e o Porto Rico, depois de esta terça-feira ter semeado a destruição na Dominica e provocado um morto e dois desaparecidos na ilha francesa de Guadalupe.

  • Pistolas Nerf podem causar graves lesões nos olhos

    Mundo

    As balas das pistolas Nerf, quando atingem os olhos, podem causar graves lesões. O aviso é de um grupo de médicos de Londres, que recomenda a utilização de óculos protetores e o aumento da idade mínima para a utilização dos brinquedos.

    SIC

  • Investigadores descobrem como transformar gordura "má" em gordura "boa"

    Mundo

    Uma equipa de investigadores da Universidade de Washington, Estados Unidos, descobriu como converter a gordura corporal "má" em gordura "boa", permitindo queimar mais calorias e atrasar o aumento de peso, num estudo conduzido em ratos. Estes resultados abrem caminho para a possibilidade de desenvolver tratamentos mais eficazes para a obesidade e para a diabetes associada ao aumento de peso em pessoas, segundo os autores.

  • Escola na Croácia usa imagem de Melania Trump para chamar alunos

    Mundo

    "Imagine até onde pode ir com um pouco de inglês", foi com estas palavras que uma escola de inglês da Croácia decidiu promover as suas aulas, juntando ainda a fotografia de Melania Trump ao placard do anúncio. Agora, a primeira-dama norte-americana ameaça levar o Instituo Americki a tribunal. Entretanto, o placard já foi retirado do local.

    SIC