sicnot

Perfil

Mundo

'Bloguer' morto à facada no Bangladesh, revela polícia

Um 'bloguer' foi morto à facada em Dacca, no Bangladesh, anunciou a polícia ao reportar o segundo homicídio de um autor independente depois da morte de um norte-americano em fevereiro. 

A.M. Ahad

Washiqur Rahman, de 27 anos, foi "brutalmente esfaqueado até à morte esta manhã a cerca de 500 metros da sua casa em Dacca", disse à AFP o chefe da polícia local, Wahidul Islam.


Dois homens foram detidos após a agressão quando tentavam fugir da cena do crime. 


Segundo outro autor ativo nas redes sociais, a vítima era conhecida por ter escrito contra "o fundamentalismo religioso". A informação não pode ainda ser confirmada junto da polícia pela AFP. 


Esta morte ocorre um mês depois de um ataque similar contra o 'bloger' norte-americano Avijit Roy, morto a golpes de catana quando entrava em casa com a mulher.


A morte do norte-americano suscitou a indignação no Bangladesh e estrangeiro, tendo originado manifestações de várias centenas de pessoas que reclamavam justiça. 


Um islamita, considerado o principal suspeito da morte do 'bloger' norte-americano, foi detido no início de março.

Lusa

  • Economia portuguesa a crescer
    2:26
  • Os likes dos candidatos às autárquicas no Facebook
    4:00

    Autárquicas 2017

    Se há mais de 5 milhões de portugueses no Facebook, é natural que as autárquicas também passem pela rede social mais usada no país e no mundo. A SIC apresenta-lhe os 10 candidatos cujas páginas têm mais seguidores e, para a comparação ser mais justa, os que têm mais seguidores em Portugal - porque há também quem estranhamente tenha milhares de fãs em países como Egito, Filipinas ou Vietname.

  • Embaixador do Bangladesh pede ajuda aos portugueses no caso dos rohingya

    Mundo

    O embaixador do Bangladesh em Lisboa pediu esta sexta-feira aos portugueses que ajudem a resolver o problema dos rohingya. Desde o final de agosto, mais de 400 mil pessoas desta minoria muçulmana fugiram de Myanmar, a antiga Birmânia. O Bangladesh já tinha acolhido outros 400 mil refugiados e vê-se agora a braços com esta crise migratória. Pede por isso a Portugal que pressione Myanmar para aceitar de volta e em segurança os rohingya.