sicnot

Perfil

Mundo

Dissolução do parlamento britânico marca início da campanha para eleições legislativas

A campanha para as eleições legislativas britânicas de 07 de maio, consideradas as mais renhidas das últimas décadas, começa oficialmente hoje com a dissolução formal do Parlamento. 

© David Gray / Reuters

A Câmara dos Comuns encerrou os trabalhos na quinta-feira, mas a dissolução que marca o início do processo eleitoral só acontece 25 dias úteis antes do escrutínio.


A imigração, a recuperação económica, o sistema de saúde britânico ou as relações com a União Europeia são alguns dos temas mais controversos da agenda política britânica, e que deverão dominar as próximas cinco semanas.


O líder do partido Trabalhista, Ed Miliband, promete "fazer melhor" do que o governo anterior, nomeadamente de investir mais nos serviços de saúde públicos e promover a melhoria das condições de vida dos trabalhadores de classe média e baixa britânicos, ao mesmo tempo que quer controlar a imigração.


O primeiro-ministro e líder do partido Conservador, David Cameron, faz campanha para completar o trabalho feito nos últimos cinco anos a "dar a volta à economia do país", que o governo estima que irá crescer 2,5% em 2015, mais do que as principais economias ocidentais.


Além de uma corrida renhida entre os dois principais partidos britânicos, estas eleições caracterizam-se por uma fragmentação das intenções de voto que poderá resultar na necessidade de uma coligação ou aliança eleitoral para amparar um governo minoritário. 


À direita, o Partido para a Independência (UKIP) seduz os eleitores dos conservadores ("tories") com o discurso eurocético e anti-imigração, enquanto que, à esquerda, os nacionalistas do SNP poderão, segundo as sondagens, "roubar" o lugar de um grande número de deputados trabalhistas na Escócia. 


Menos influentes, mas potencialmente importantes num cenário de maioria relativa são os Liberais Democratas, cuja popularidade decresceu após a participação no governo de coligação com o partido Conservador, e o partido Verde, que nas eleições anteriores só elegeu um deputado. 

Lusa



  • Outros casos de fuga de prisões portuguesas
    2:58

    País

    Nos últimos cinco anos, 52 reclusos fugiram de cadeias portuguesas, mas foram todos recapturados. Entre 1999 e 2009, fugiram oito reclusos da prisão de Caxias. Em 2005, um homem condenado a 21 anos de prisão fugiu de Coimbra, viajando por França e pela Polónia. Manuel Simões acabou por ser detido no regresso a Portugal.

  • Portugal sem resposta de Moçambique sobre português desaparecido em Maputo
    1:25

    País

    Portugal tem tentado, sem sucesso, obter respostas das autoridades moçambicanas sobre o rapto de um empresário português há sete meses. De acordo com a notícia avançada este domingo pelo jornal Público, uma carta enviada há duas semanas pelo Presidente da República ao homólogo moçambicano não teve resposta. O Governo de Moçambique tem ignorado pedidos de informação das autoridades portuguesas.

  • Táxi capaz de sobrevoar filas de trânsito ainda este ano no Dubai

    Mundo

    É o sonho de muitos que passam horas intermináveis em filas de trânsito. Trata-se de um drone com capacidade para transportar pessoas. "Operações regulares" deste insólito aparelho terão início em julho, no Dubai. O anúncio foi feito pela entidade que gere os transportes da cidade. Apenas um passageiro, com o peso máximo de 100 kg, pode seguir viagem neste táxi revolucionário, capaz de sobrevoar vias congestionadas pelo trânsito.