sicnot

Perfil

Mundo

Procurador turco morre na sequência de ferimentos em sequestro

O procurador hoje sequestrado no Palácio da Justiça de Istambul, Turquia, por dos homens armados, morreu na sequência de ferimentos graves, informaram fontes hospitalares.

© Murad Sezer / Reuters

Mehmet Selim Kiraz, que foi hoje feito refém durante cerca de sete horas no sexto piso do edifício, ainda chegou a ser resgatado pela polícia durante a operação que pôs fim ao sequestro.

Os sequestradores morreram durante a operação policial e o procurador foi transferido para o hospital com ferimentos graves provocados por balas.

Umas horas mais tarde, o hospital emitiu um comunicado para informar que o procurador morreu devido à gravidade dos ferimentos.

Os sequestradores, que pertenciam ao grupo de extrema-esquerda Frente Revolucionária da Libertação Popular, exigiam à polícia que divulgasse os nomes dos agentes que provocaram a morte a um jovem de 14 anos numa manifestação em 2013.


LUSA
  • Fogo em Setúbal dominado
    2:31

    País

    O incêndio que deflagrou na terça-feira em Setúbal está dominado. As chamas chegaram a ameaçar as casas, o que obrigou à retirada de cerca de 500 pessoas das habitações, como medida de precaução. Também o Hotel do Sado teve de ser evacuado.

  • "Lancei um tema que os portugueses há muito queriam discutir"
    11:26
  • Danos Colaterais 
    18:55
    Reportagem Especial

    Reportagem Especial

    Jornal da Noite

    Nos últimos oito anos a banca perdeu 12 mil profissionais. A dimensão de despedimentos no setor é a segunda maior da economia portuguesa, só ultrapassada pela construção civil. A etapa mais complexa da história começou em 2008, com a nacionalização do BPN. Desde então, as saídas têm sido a regra. A reportagem especial desta terça-feira, "Danos Colaterais", dá voz aos despedidos da banca.