sicnot

Perfil

Mundo

Três esquiadores mortos em avalanche nos Alpes franceses

Dois austríacos e um italiano morreram esta quarta-feira numa avalanche no maciço de Écrins, Alpes franceses, e uma quarta pessoa encontra-se em "estado muito grave", referiu o departamento dos Altos-Alpes.

A avalanche foi registada às 15:00 locais (14:00 em Lisboa) a mais de 3.000 metros de altitude, na comuna de Pelvoux, no departamento dos Altos-Alpes.

A avalanche foi registada às 15:00 locais (14:00 em Lisboa) a mais de 3.000 metros de altitude, na comuna de Pelvoux, no departamento dos Altos-Alpes.

© Jean-Paul Pelissier / Reuters

As vítimas integravam um grupo de dez esquiadores que percorriam a região com um guia, indicaram à agência noticiosa AFP as equipas de bombeiros que participaram nas operações de socorro. 

A avalanche foi registada às 15:00 locais (14:00 em Lisboa) a mais de 3.000 metros de altitude, na comuna de Pelvoux, no departamento dos Altos-Alpes. Numerosos socorristas foram enviados para o local. 

O ferido, com prognóstico reservado, terá sido transportado de helicóptero para o aeroporto de Grenoble, enquanto os restantes membros do grupo foram acolhidos no refúgio de Écrins. 

No final do dia ainda prosseguiam as buscas para detetar eventuais novas vítimas, apesar do forte vento, que soprava a mais de 80 quilómetros por hora, estar a dificultar as operações. 

Segundo o tenente-coronel Patrick Moreau, diretor do departamento dos bombeiros locais, não existem sinais de que outras pessoas tenham sido atingidas pela avalanche. 

Dois outros esquiadores também foram encontrados mortos nesta região dos Altos-Alpes, após uma avalanche registada no maciço de Dévoluy. 

Lusa
  • Oito mortos em avalanches nos Alpes suíços

    Mundo

    Oito esquiadores morreram no sábado em avalanches nos Alpes suíços, apesar das advertências contra a prática de esqui devido às condições perigosas, de acordo com a atualização feita hoje pelas autoridades

  • Um dos conflitos mais sangrentos e esquecidos do planeta pelo olhar de uma portuguesa
    3:20

    Mundo

    A guerra do Congo, que opõe milícias rebeldes ao regime de Kabila, já dura há 20 anos e fez seis milhões de mortos, quatro milhões de deslocados internos e um número crescente de refugiados. Um dos conflitos mais sangrentos e esquecidos do planeta tem levado milhares de civis a passar a fronteira para Angola. A médica portuguesa Ana Paula Cruz testemunhou o drama silencioso dos congoleses nos campos de refugiados da Lunda Norte.

  • "Este é o elefante na sala sobre a saúde!"
    1:43

    País

    Catarina Martins acusa o Governo de estar alinhado com a direita na promoção de negócios privados na área da saúde. O Bloco de Esquerda quer uma nova lei de bases aprovada até ao final da legislatura e arrancou ontem com um ciclo nacional de sessões públicas para defender o Serviço Nacional de Saúde.

  • Marido de idosa que morreu na Sertã teve de caminhar durante duas horas para pedir ajuda
    1:44

    País

    A Altice garantiu esta sexta-feira que tentou agendar, por duas vezes, a reposição da linha telefónica na casa da idosa da Sertã, que morreu na semana passada por não ter comunicações que permitissem um socorro rápido. A mulher sentiu-se mal e o marido teve de caminhar durante duas horas para conseguir chegar à casa do vizinho mais próximo e pedir ajuda.

  • "No meu bairro perguntam-me se a medalha é de ouro e dizem que ma vão roubar e vender"
    4:46
  • Como é que alguém (Rúben Semedo) com tanto pode perder tudo?
    3:05