sicnot

Perfil

Mundo

Número de muçulmanos poderá ser quase igual ao de cristãos em 2050

Em 2050, o número de muçulmanos em todo o mundo poderá ser quase igual ao de cristãos, com o Islão a tornar-se a fé com o crescimento mais rápido no planeta, de acordo com um estudo divulgado esta quinta-feira. 

Se se mantiverem as tendências atuais nas próximas quatro décadas, "o número de muçulmanos quase que igualará o de cristãos", embora este continue a ser o maior grupo religioso, indica o estudo "O futuro das religiões no mundo: projeções 2010-2050". (Arquivo)

Se se mantiverem as tendências atuais nas próximas quatro décadas, "o número de muçulmanos quase que igualará o de cristãos", embora este continue a ser o maior grupo religioso, indica o estudo "O futuro das religiões no mundo: projeções 2010-2050". (Arquivo)

© Stefano Rellandini / Reuters

Se se mantiverem as tendências atuais nas próximas quatro décadas, "o número de muçulmanos quase que igualará o de cristãos", embora este continue a ser o maior grupo religioso, indica o estudo "O futuro das religiões no mundo: projeções 2010-2050". 

Realizado pelo Pew Research Center, o estudo tem em conta dados sobre taxas de fertilidade, evolução do crescimento da população jovem e estatísticas sobre conversão religiosa, calculando que em 2050 os muçulmanos ascenderão a 2,76 mil milhões (1,6 mil milhões em 2010), enquanto os cristãos serão 2,92 mil milhões (2,17 mil milhões em 2010), o que corresponde a 29,7% e a 31,4% da população mundial, respetivamente. 

O "Islão crescerá mais rápido do que qualquer outra grande religião" e, se a tendência continuar, será a fé mais popular no mundo depois de 2070, indica o estudo.  

O Pew chama a atenção, no entanto, para o facto de "numerosos acontecimentos" como guerras, movimentos sociais e políticos, catástrofes naturais ou alterações de condições económicas poderem "alterar as tendências demográficas de modo imprevisível".  

Mantendo-se as tendências, os hindus serão o terceiro grupo religioso, representando 14,9% da população mundial, enquanto 13,2% serão pessoas sem religião. 

O estudo prevê uma diminuição da percentagem de pessoas sem religião, embora em alguns países -- como os Estados Unidos e a França -- seja esperado o aumento do número de ateus e agnósticos.

O budismo é a única religião que não deverá registar um aumento do número de fiéis.

Os investigadores reuniram dados de 175 países, representando 95% da população mundial.
Lusa
  • Meryl Streep mais uma vez candidata a um Óscar

    Óscares 2017

    Aos 67 anos, Meryl Streep soma mais uma nomeação para aqueles que são os prémios mais cobiçados de Hollywood. A atriz foi nomeada pela interpretação em "Florence, Uma Diva Fora de Tom". Esta é vigésima vez que a Academia reconhece o trabalho da atriz, que já levou o Óscar para casa três vezes.

    Miguel Domingos

  • Polanski recusa presidir aos "César" por caso de violação em 1977
    1:55

    Cultura

    Roman Polanski já não vai presidir à cerimónia dos prémios César, o equivalente aos Óscares em França. A decisão de se afastar foi tomada esta terça-feira pelo próprio cineasta, na sequência da polémica em que se viu envolvido assim que foi convidado. Em 1977, Polanski foi acusado de ter violado uma adolescente de 13 anos, na Califórnia, declarando-se culpado. O realizador foi agora pressionado por associações feministas, redes sociais e pela ministra francesa dos direitos das mulheres. O diretor do Festival de Cannes Thierry Fremaux diz que falou com o realizador e acha que não é necessário "adicionar mais problemas ao problema".

  • Marcelo quer fazer mais e melhor
    0:48
  • "Andem lá com isso!"
    0:42
  • "A Miss Helsínquia é a mulher mais feia que já vi num concurso de beleza"

    Mundo

    Sephora Lindsay Ikabala venceu o concurso Miss Helsínquia 2017 e, desde então, tem vindo a ser insultada e criticada nas redes sociais. A nigeriana de 19 anos vive na cidade desde criança. "A Miss Helsínquia é literalmente a mulher mais feia que já vi num concurso de beleza", é apenas um dos muitos comentários que circula nas redes sociais.