sicnot

Perfil

Mundo

Número indeterminado de estudantes reféns em ataque a universidade

Um número indeterminado de estudantes está hoje retido no interior da universidade de Garissa, no leste do Quénia a cerca de 150 quilómetros da fronteira com a Somália, na sequência de um ataque de homens armados. 

De acordo com a Cruz Vermelha queniana, os atacantes ocuparam e controlam os edifícios da residência universitária, onde residem várias centenas de estudantes. 


"Cinquenta estudantes foram libertados", acrescentou a Cruz Vermelha em comunicado, sem explicar as circunstâncias da libertação. 


As forças de segurança quenianas lançaram uma operação para capturar os atacantes. 


Pelo menos dois seguranças morreram e quatro pessoas ficaram feridas quando um grupo de homens armados atacou a universidade de Garissa, informou o Centro de Operação de Desastres local, através da sua conta na rede social "Twitter". 


O ataque ocorreu por volta das 05:30 locais (03:30 em Lisboa), quando os atacantes entraram nas instalações universitárias e começaram a disparar indiscriminadamente e detonaram vários engenhos explosivos. 


Nenhum grupo reivindicou o ataque, mas as suspeitas apontam para os 'jihadistas' somalis Al-Shabab, autores de múltiplos ataques em cidades na fronteira, como Garissa.


Desde que, em outubro de 2011, o exército queniano entrou na Somália para combater o Al-Shabab, o país tem sido alvo de frequentes atentados terroristas, sendo o mais grave de todos o assalto ao centro comercial Westgate, ocorrido em 2013, no qual morreram 67 pessoas. 


Lusa
  • Pelo menos 4 mortos em ataque no Quénia

    Mundo

    Está em curso esta manhã um ataque a uma universidade no Quénia. Até ao momento, há a registar pelo menos quatro mortos e quatro feridos graves, embora haja também relatos de cerca de 30 pessoas hospitalizadas.

  • A menina síria que relata a guerra no Twitter está bem, diz o pai

    Mundo

    Bana Alabed, a menina síria de 7 anos que conta no Twitter a luta pela sobrevivência e os horrores da guerra em Alepo, teve de abandonar a sua casa que foi bombardeada mas está bem, disse hoje o seu pai à Agência France Press. A conta esteve fechada desde domingo, mas foi entretanto reativada e tem hoje uma nova publicação de Bana.

  • Parkinson pode ter início nos intestinos

    Mundo

    Um novo estudo científico vem revelar que a doença de Parkinson pode não estar apenas no cérebro. A doença pode ter início nos intestinos e mais tarde migrar para o cérebro.