sicnot

Perfil

Mundo

Famílias das vítimas do navio Sewol rejeitam indemnizações do governo sul-coreano

Familiares das vítimas do naufrágio do navio sul-coreano Sewol, que causou 304 mortos em abril do ano passado, rejeitaram hoje as indemnizações oferecidas pelo governo e exigiram uma investigação transparente e a recuperação de nove corpos que continuam desaparecidos. 

© Issei Kato / Reuters

Dezenas de familiares vestidos de amarelo -- cor que representa a solidariedade para com as vítimas do Sewol -- manifestaram-se hoje na praça de Gwanghwamun no centro de Seul, com bandeiras e alguns com o cabelo rapado em sinal de protesto. 

Os familiares afirmaram que nunca pediram dinheiro ao Governo e acusaram Seul de "insultar as vítimas" ao oferecer compensações económicas e ao mesmo tempo bloquear uma investigação independente sobre o incidente. 

O Governo da Coreia do Sul abriu esta semana o processo de requerimento de indemnizações para os familiares das vítimas e sobreviventes do naufrágio do Sewol. 

Tanto as famílias dos mortos -- dos quais ainda há nove corpos por recuperar -- como os 157 sobreviventes do naufrágio podem apresentar os seus pedidos de compensação financeira por parte do Estado, anunciou na quarta-feira o Ministério de Oceanos e Pescas Seul em comunicado.

A maioria dos 304 mortos do naufrágio ocorrido a 16 de abril do ano passado era estudante numa escola secundária em Ansan (a sul de Seul).

A compensação para as famílias de cada aluno falecido foi calculada em aproximadamente 420 milhões de won (353 mil euros), e no caso dos professores em 760 milhões de won (639 mil euros), por ter sido considerado que os docentes sacrificaram as suas vidas a tentar salvar os seus alunos. 

As indemnizações aos restantes viajantes e tripulantes falecidos no naufrágio podem variar, dependendo de fatores como a idade, ocupação e rendimentos, informou o ministério, enquanto os sobreviventes serão compensados com diferentes montantes pelos prejuízos causados. 

 







Lusa
  • Jovens adoptados e filha do líder da IURD com versões diferentes dos acontecimentos
    4:06

    País

    Os jovens adoptados e a filha do bispo Edir Macedo, que alegadamente os adoptou, têm versões diferentes sobre o que aconteceu. Vera e Luís Katz garantem que foram adoptados por uma família norte-americana, com que viveram até aos 20 anos. Viviane Freitas, filha do líder da Igreja Universal do Reino de Deus, conta que foi mãe das crianças durante três anos, apesar de lhe ter sido negada a adopção.

  • Cabecilha da seita Verdade Celestial é "mentiroso, egocêntrico e psicótico"
    2:22

    País

    O cabecilha da seita "Verdade Celestial" foi condenado a 23 anos de pena de prisão por abusos sexuais de crianças e adolescentes. O juiz diz que o cabecilha do grupo era mentiroso patológico, egocêntrico, impulsivo e com personalidade psicótica. Dos oito acusados, duas mulheres foram absolvidas e seis arguidos foram condenados a penas efectivas. A rede de abusadores foi desmantelada há dois anos, numa quinta de Palmela.

  • Mau tempo obriga ao cancelamento de centenas de voos na Europa
    1:21