sicnot

Perfil

Mundo

Governo canadiano pede a trabalhadores temporários para saírem do país

O governo canadiano assegurou hoje que não vai permitir que os trabalhadores ilegais fiquem no país depois de os seus contratos de quatro anos terem expirado.

© Chris Wattie / Reuters

"Para que não haja nenhum erro, não vamos tolerar pessoas que fiquem em situação ilegal. Não é uma opção desrespeitar as nossas leis de imigração, vamos lidar com os infratores com rapidez e de forma justa", anunciou o governo federal em comunicado.

Numa nota assinada pelos ministros Chris Alexander, da Cidadania e Imigração, e Pierre Poilievre, do Emprego e Desenvolvimento Social, os governantes reagiam assim a notícias avançadas pela imprensa canadiana, que davam conta de que milhares de trabalhadores estrangeiros temporários teriam de abandonar o país dado os seus vistos de trabalho terem expirado na quarta-feira. 

 Segundo aquele documento, tanto os patrões como os trabalhadores tinham conhecimento, desde 2011, do prazo de quatro anos de contrato, quando a alteração das regras de imigração foi anunciada.

 "Os empregadores tiveram quatro anos para encontrar empregados alternativos. Da mesma forma, os trabalhadores temporários estrangeiros tiveram quatro anos para seguir caminhos para a residência permanente", sublinharam.

O governo canadiano esclarece ainda que o Programa de Trabalhadores Temporários Estrangeiros tem esse mesmo objetivo de ser "temporário", e que os canadianos "esperam ter prioridade nas primeiras vagas disponíveis para os trabalhos".

 "Os canadianos são acolhedores e generosos, mas precisamos garantir que os estamos a colocar em primeiro, lutando contra o potencial abuso do nosso sistema de imigração", esclareceram.

As autoridades não revelaram o numero de emigrantes que terão de sair do país, mas alguns grupos de advogados avançaram com mais de 70 mil trabalhadores, cerca de 10 mil só na província de Alberta.

 No entanto, os ministros aconselham os trabalhadores temporários a candidatarem-se ao estatuto da residência permanente, através dos programas "Express Entry" e de nomeação provincial.







Lusa
  • Marcelo já sabia da substituição do embaixador de Angola
    4:00

    País

    O Presidente da República sabia há bastante tempo da substituição do embaixador de Angola em Lisboa e já tinha aprovado o nome do futuro representante de Luanda. A revelação foi feita, esta terça-feira, por Marcelo Rebelo de Sousa, numa conversa exclusiva com a SIC no Palácio de Belém. O Presidente contou ainda que não vai enviar recados ao Governo nem aos partidos no discurso de 25 abril que vai fazer na Assembleia da República.

    Exclusivo SIC

  • "O ministro não escondeu nem tapou"
    1:20

    Economia

    Pedro Santana Lopes falou pela primeira vez sobre a auditoria feita à Santa Casa no período em que foi provedor. Esta terça-feira, na SIC Notícias, Santana Lopes desvalorizou as irregularidades e defendeu o ministro do Trabalho, da Solidariedade e da Segurança Social, Vieira da Silva.

    Pedro Santana Lopes

  • Constitucional chumba algumas normas da lei de barrigas de aluguer

    País

    O Tribunal Constitucional chumbou algumas normas do acórdão sobre as barrigas de aluguer. De acordo com o Expresso, a decisão já foi comunicada à Assembleia da República. A obrigatoriedade da regulamentação da lei ser feita pelo Parlamento e não pelo Governo terá sido unânime.

  • A história do bebé que continua a lutar pela vida depois de terem desligado as máquinas

    Mundo

    Alfie Evans sofre de uma doença cerebral degenerativa. A sua condição levou o caso à justiça e, depois de uma batalha judicial entre os pais e o hospital, os juízes determinaram que as máquinas do suporte artificial de vida fossem desligadas. Apesar de os aparelhos terem sido desligados na segunda-feira à noite, segundo os pais, a criança de 23 meses continua a lutar pela vida, respirando sozinha.

    SIC

  • O 10 de julho de 1941 na escrita de João Pinto Coelho
    15:09
  • Chegaram os brinquedos de cartão para a consola
    6:24
  • Marinha resgata 138 migrantes ao largo de Lampedusa

    País

    A fragata da Marinha portuguesa D. Francisco de Almeida resgatou esta terça-feira, ao largo da ilha de Lampedusa, em Itália, 138 migrantes, entre eles 15 mulheres e oito bebés, disse à Lusa fonte do Estado-Maior-General das Forças Armadas.

  • O recado de Donald Trump à Coreia do Norte 

    Mundo

    O Presidente norte-americano, Donald Trump, exortou Pyongyang a eliminar todo o seu arsenal nuclear, precisando o que queria dizer exatamente ao apelar para a "desnuclearização" do regime totalitário, antes de uma aguardada cimeira com o líder norte-coreano.

  • O vestido de noiva de Megan Markle
    1:17