sicnot

Perfil

Mundo

Governo canadiano pede a trabalhadores temporários para saírem do país

O governo canadiano assegurou hoje que não vai permitir que os trabalhadores ilegais fiquem no país depois de os seus contratos de quatro anos terem expirado.

© Chris Wattie / Reuters

"Para que não haja nenhum erro, não vamos tolerar pessoas que fiquem em situação ilegal. Não é uma opção desrespeitar as nossas leis de imigração, vamos lidar com os infratores com rapidez e de forma justa", anunciou o governo federal em comunicado.

Numa nota assinada pelos ministros Chris Alexander, da Cidadania e Imigração, e Pierre Poilievre, do Emprego e Desenvolvimento Social, os governantes reagiam assim a notícias avançadas pela imprensa canadiana, que davam conta de que milhares de trabalhadores estrangeiros temporários teriam de abandonar o país dado os seus vistos de trabalho terem expirado na quarta-feira. 

 Segundo aquele documento, tanto os patrões como os trabalhadores tinham conhecimento, desde 2011, do prazo de quatro anos de contrato, quando a alteração das regras de imigração foi anunciada.

 "Os empregadores tiveram quatro anos para encontrar empregados alternativos. Da mesma forma, os trabalhadores temporários estrangeiros tiveram quatro anos para seguir caminhos para a residência permanente", sublinharam.

O governo canadiano esclarece ainda que o Programa de Trabalhadores Temporários Estrangeiros tem esse mesmo objetivo de ser "temporário", e que os canadianos "esperam ter prioridade nas primeiras vagas disponíveis para os trabalhos".

 "Os canadianos são acolhedores e generosos, mas precisamos garantir que os estamos a colocar em primeiro, lutando contra o potencial abuso do nosso sistema de imigração", esclareceram.

As autoridades não revelaram o numero de emigrantes que terão de sair do país, mas alguns grupos de advogados avançaram com mais de 70 mil trabalhadores, cerca de 10 mil só na província de Alberta.

 No entanto, os ministros aconselham os trabalhadores temporários a candidatarem-se ao estatuto da residência permanente, através dos programas "Express Entry" e de nomeação provincial.







Lusa
  • Debate quinzenal no Parlamento: veja em direto e comente

    País

    As políticas de descentralização foram o tema escolhido pelo Governo para o debate quinzenal, mas a situação na Caixa Geral de Depósitos também deve marcar os trabalhos na Assembleia da República. Acompanhe aqui a discussão e participe no Minuto a Minuto SIC/Parlamento Global.

    Direto

  • Prioridades para a CGD: cortar custos e aumentar receitas
    2:16

    Caso CGD

    O principal objetivo do plano estratégico para a Caixa Geral de Depósitos, a que a SIC teve acesso, é cortar custos e aumentar receitas. A grande aposta da nova administração passa por apertar as regras para emprestar dinheiro e, por outro lado, recuperar o crédito que não está a ser pago.

  • Turismo da Madeira investe mais de 3 milhões de euros no programa de festas
    2:22

    País

    A Madeira já vive a época de Natal. O turismo da região investiu mais de 3 milhões de euros no programa de festas de Natal e Fim de Ano para atrair os turistas. Os residentes e também turistas aproveitam para desfrutar do ambiente mágico proporcionado pelas tradicionais iluminações à mistura com as decorações e gastronomia típicas da quadra.

  • Os dias na Terra estão a ficar mais longos

    Mundo

    Os dias estão a tornar-se mais longos, mas impercetivelmente, porque vão ser precisos 6,7 milhões de anos para aumentarem um minuto, segundo um estudo publicado quarta-feira pela Proceedings A da Royal Society britânica.

  • Leica: a marca lendária entre os fotógrafos
    5:54
    Futuro Hoje

    Futuro Hoje

    3ª FEIRA NO JORNAL DA NOITE

    A Leica, das famosas máquinas fotográficas, abriu na semana passada a primeira loja em Portugal. Grande parte da produção da marca alemã é feita em Lousado, em Vila Nova de Famalicão, há 43 anos.