sicnot

Perfil

Mundo

Três desaparecidos após incêndio em petrolífera mexicana Pemex

A empresa mexicana Pemex anunciou que estão desaparecidos três funcionários desde o incêndio e explosão que ocorreu na quarta-feira numa das suas plataformas de petróleo no Golfo do México, que provocou quatro mortos e 16 feridos.

PEMEX

"Após a última contagem realizada em diferentes plataformas na área, não conseguimos localizar três funcionários, dois (subcontratados) da Cotemar e outro de Pemex", informou a empresa em comunicado.

A empresa pública também confirmou a identidade dos quatro mortos - um funcionário da plataforma de Pemex e três de Cotemar -- acrescentando que três dos nove feridos hospitalizados já tiveram alta hospitalar na manhã de quinta-feira.

Funcionários e peritos da justiça mexicana e da Agência Nacional de Segurança Industrial e proteção ambiental do sector dos hidrocarbonetos (ASEA) chegaram na quinta-feira ao local da tragédia, a plataforma Abkatun A-Permanente, para começar a investigação sobre as causas do acidente.

A explosão ocorreu às 03:40 de quarta-feira (09:40 GMT) e levou à evacuação de 300 trabalhadores da plataforma localizada a 85 quilómetros da costa, que é desde a década de 1970 uma das áreas de mineração mais importantes do petróleo mexicano.

Esta área do mar, onde há cerca de 200 plataformas Pemex, produz 78% do petróleo bruto do país.










Lusa
  • António Costa evita perguntas sobre estágios não remunerados
    1:55
  • "É evidente que não fecho a porta ao Eurogrupo"
    1:38

    Economia

    O ministro das Finanças diz que não fecha a porta ao Eurogrupo. A declaração é feita numa entrevista ao semanário Expresso. No entanto, Mário Centeno deixa a ressalva que qualquer ministro das Finanças do Eurogrupo pode ser presidente.

  • Trump adia decisão sobre permanência nos acordos de Paris
    1:48
  • Raízes de ciência e rebentos de esperança
    14:14
  • Portugal pode ser atingido por longos períodos de seca

    País

    Portugal e Espanha podem ser atingidos até 2100 por 'megasecas', períodos de seca de dez ou mais anos, segundo os piores cenários traçados num estudo da universidade britânica Newcastle, que tem a participação de uma investigadora portuguesa.