sicnot

Perfil

Mundo

Senegal vai suprimir visto de entrada a partir de maio

O presidente do Senegal, Macky Sall, anunciou o fim dos vistos de entrada no país, a partir do início de maio, numa mensagem à nação, para comemorar o 55.º aniversário da proclamação da independência, que se celebra hoje.

© Stringer . / Reuters

"Decidi alguns incentivos para reativar o setor do turismo e reduzir as despesas de viagens dos nossos compatriotas na diáspora. Assim, a taxa de visto de entrada no Senegal vai ser suprimida a partir de 01 de maio" próximo, disse. 

Sall anunciou que os impostos sobre o bilhete de avião vão ser reduzidos em 50% para diminuir o preço do bilhete. 

O presidente acrescentou que vai consultar as companhias aéreas para analisar a possibilidade de reduzir a taxa de combustível. 

Com estas medidas, o Senegal pretende apoiar o setor turístico, em crise desde a introdução do visto em 2013, e com as taxas, consideradas elevadas, aplicadas sobre o preço do bilhete de avião e nos aeroportos. 

Estimativas indicam que o setor turístico regista perdas no valor de 150 milhões de euros devido à introdução do visto. 

Profissionais do turismo afirmaram que se registou uma quebra de mais de 30% do números de turistas no ano passado, situação que se agravou com a epidemia do Ébola, que afeta vários países da África ocidental. 











Lusa
  • "Os governos são diferentes mas o povo é o mesmo"
    0:45

    Economia

    O Presidente da República atribui o resultado do défice do ano passado ao espírito de sacrifício do povo português. Num jantar em Coimbra para assinalar o Dia do Estudante, Marcelo Rebelo de Sousa considerou ainda que o valor do défice de 2016 é a prova de que com governos diferentes conseguem-se os mesmos objetivos.

  • Recuo na saúde é primeira derrota de peso para Donald Trump
    1:18

    Mundo

    O Presidente norte-americano sofreu esta sexta-feira uma derrota de peso. O líder da Câmara dos Representantes retirou a proposta do plano de saúde de Trump, que se preparava para um chumbo na câmara baixa do Congresso. Para já, mantém-se o Obamacare.

  • Pai do piloto da Germanwings defende inocência do filho

    Mundo

    O pai de Andreas Lubitz declarou esta sexta-feira que o filho não é o responsável pelo embate do avião da Germanwings contra um local montanhoso, que fez 150 mortos. O Ministério Público alemão concluiu em janeiro que o incidente em 2015 foi apenas da responsabilidade do piloto.