sicnot

Perfil

Mundo

Senegal vai suprimir visto de entrada a partir de maio

O presidente do Senegal, Macky Sall, anunciou o fim dos vistos de entrada no país, a partir do início de maio, numa mensagem à nação, para comemorar o 55.º aniversário da proclamação da independência, que se celebra hoje.

© Stringer . / Reuters

"Decidi alguns incentivos para reativar o setor do turismo e reduzir as despesas de viagens dos nossos compatriotas na diáspora. Assim, a taxa de visto de entrada no Senegal vai ser suprimida a partir de 01 de maio" próximo, disse. 

Sall anunciou que os impostos sobre o bilhete de avião vão ser reduzidos em 50% para diminuir o preço do bilhete. 

O presidente acrescentou que vai consultar as companhias aéreas para analisar a possibilidade de reduzir a taxa de combustível. 

Com estas medidas, o Senegal pretende apoiar o setor turístico, em crise desde a introdução do visto em 2013, e com as taxas, consideradas elevadas, aplicadas sobre o preço do bilhete de avião e nos aeroportos. 

Estimativas indicam que o setor turístico regista perdas no valor de 150 milhões de euros devido à introdução do visto. 

Profissionais do turismo afirmaram que se registou uma quebra de mais de 30% do números de turistas no ano passado, situação que se agravou com a epidemia do Ébola, que afeta vários países da África ocidental. 











Lusa
  • "Este é o elefante na sala sobre a saúde!"
    1:43

    País

    Catarina Martins acusa o Governo de estar alinhado com a direita na promoção de negócios privados na área da saúde. O Bloco de Esquerda quer uma nova lei de bases aprovada até ao final da legislatura e arrancou ontem com um ciclo nacional de sessões públicas para defender o Serviço Nacional de Saúde.

  • Marido de idosa que morreu na Sertã teve de caminhar durante duas horas para pedir ajuda
    1:44

    País

    A Altice garantiu esta sexta-feira que tentou agendar, por duas vezes, a reposição da linha telefónica na casa da idosa da Sertã, que morreu na semana passada por não ter comunicações que permitissem um socorro rápido. A mulher sentiu-se mal e o marido teve de caminhar durante duas horas para conseguir chegar à casa do vizinho mais próximo e pedir ajuda.

  • "No meu bairro perguntam-me se a medalha é de ouro e dizem que ma vão roubar e vender"
    4:46
  • Como é que alguém (Rúben Semedo) com tanto pode perder tudo?
    3:05