sicnot

Perfil

Mundo

Papa lamenta clima de violência no mundo na missa da Páscoa

O papa Francisco presidiu hoje a missa da Páscoa do Vaticano, a mais importante cerimónia católica, durante a qual recordou o clima de violência mundial e o recente massacre no Quénia. 

© Max Rossi / Reuters

Jorge Bergoglio celebrou pela terceira vez a solene missa sob um toldo branco instalado nos degraus em frente à Basílica de São Pedro, poucos dias depois do ataque executado pela Al-Shabab na Universidade de Garissa, no Quénia, que provocou 148 mortos.

Nos últimos meses, o papa tem falado numa "terceira guerra mundial em pedaços" que se desenvolve um pouco por todo o mundo: "Hoje vemos os nossos irmãos perseguidos, decapitados e crucificados na sua fé em Ti, os nossos olhos são frequentemente cúmplices com o nosso silêncio", criticou.

Massacres e milhões de refugiados da Síria e do Iraque, o caos na Líbia ou na Somália, que se reflete no Quênia, a guerra civil na África Central, os ataques anticristãos em países como o Paquistão, a repressão contra eles na China e Coreia do Norte são algumas das histórias hoje recordadas por Francisco, que lembrou a longa lista de países onde os cristãos são ameaçados e obrigados a fugir.

Para o papa argentino, a Semana Santa é um momento intenso e desgastante: na sexta-feira celebrou o rito da Paixão, na Basílica de São Pedro, e presidiu à Via-Sacra no Coliseu e no sábado comemorou a Vigília Pascal, na Basílica de São Pedro.










Lusa
  • A casa dos horrores
    7:57

    Mundo

    Um casal foi detido na Califórnia acusado de tortura e escravidão dos 13 filhos: o mais velho tinha 29 anos e a mais nova dois. A polícia encontrou um cenário de horror quando entrou na casa da família, depois de uma das filhas ter fugido pela janela. Crianças e jovens estavam amarrados às camas e todos estavam mal alimentados. Mas nas redes sociais, o casal Turpin divulgava imagens de uma família feliz.

  • PGR e presidente do Supremo deixam recado à ministra da Justiça
    2:45
  • Rui Rio tem sentido "alguma turbulência" no PSD
    2:01

    País

    Rui Rio e Pedro Passos Coelho tiveram esta quinta-feira a primeira reunião, desde que foi eleito o novo líder do PSD. À saída, Passos Coelho desejou que esta transição decorra com naturalidade. Já Rui Rio disse que tem sentido alguma turbulência no partido.

  • Sindicatos rejeitam fim das baixas médicas até três dias
    2:02

    País

    A CGTP quer levar o tema das baixas médicas à Concertação Social, já a UGT diz que há outras matérias prioritárias. Ainda assim as duas centrais sindicais lembram que a não justificação de faltas pode dar origem a um despedimento por justa causa. Esta quinta-feira o bastonário da Ordem dos Médicos propôs ao Governo que acabe com as baixas de curta duração, até três dias.

  • Papa interrompe percurso no Chile para ajudar polícia
    0:21
  • "Mundo à Vista" no Gana
    7:38